Há muitas redes sociais por aí, mas poucas têm um foco real em privacidade. Sim, há diversos controles bem precisos no Facebook e Google+ para tanto, mas isso pode ser algo complicado de usar. Por isso, surgiram inúmeras redes sociais “privadas”, feitas para compartilhar informações só entre um círculo de pessoas. E entre elas, há um nicho: pais que querem enviar fotos dos filhos só para a família. Nele, se encaixa o 23Snaps. Você usaria?

O 23Snaps conta com 500 mil pessoas inscritas (340 mil nos últimos doze meses), das quais 60% estão ativas todo mês. No Brasil, ainda são apenas 5 mil usuários, mas isso pode aumentar: os apps e o site agora têm versão em português.



A rede social está disponível no iOS, Android e web, e é chamada pelo TechCrunch de “Facebook para a família”. Nela, você pode enviar fotos, vídeos e atualizações para contar as novidades sobre os seus filhos. Só quem for convidado (entre família e amigos) pode ver isso – e não aquele conhecido que você resolveu aceitar no Facebook.

Se você e sua família já estão no Facebook, parece muito trabalhoso convencê-los a criar uma conta em outra rede social para ver as fotos do seu rebento. (É possível fazer login com Facebook, mas mesmo assim.) Seria mais fácil compartilhá-las por lá mesmo, restringindo a uma lista com parentes próximos. Mas até o Facebook sabe que suas funções de privacidade são muito confusas.

E há no 23Snaps alguns recursos voltados para leigos. Ele envia atualizações diárias por e-mail, então o avô do seu filho não precisa acessar a rede social todo dia. Também é possível comprar um álbum de família com as fotos do seu filho, ou uma moldura digital (conectada via Wi-Fi) para exibi-las. É assim que a rede social pretende ganhar dinheiro – já que ela não possui anúncios.

Há uma pletora de redes sociais “para a família”, centradas em bebês: Kidfolio, Babymob, Oogababy, entre outras. Todas oferecem apps para iOS e Android que, estranhamente, ainda não foram atualizados este ano. Será que o 23Snaps conquistou o espaço (bastante limitado) de “Instagram para os pais”, ou ele também é uma solução para um problema pequeno demais?

Vale lembrar que as redes sociais “privadas” estão perdendo força, concorrendo com o Facebook e até mesmo apps de chat. O Path, por exemplo, permite enviar fotos, vídeos e até música para um grupo restrito de contatos, e tudo aparece em uma timeline. A rede é gratuita, mas está sumindo dos rankings da App Store e perdendo popularidade: eles sofreram um ataque no início do ano, mas poucos se importaram.