Em 2014, a Intel resolveu apostar na internet das coisas comprando a Basis, uma fabricante de smartwatches. Agora, a empresa emitiu um recall para o dispositivo Peak: ele pode superaquecer e causar queimaduras no usuário.

O Basis Peak prometia rastrear seus hábitos de exercício físico e de sono. Ao contrário de smartwatches que só monitoram a frequência cardíaca às vezes, ele acompanhava isso continuamente com um LED ativo na traseira – que podia superaquecer o relógio, causando queimaduras e bolhas em cerca de 0,2% dos clientes.

Em junho, a Basis interrompeu as vendas do smartwatch Peak, e disse estar trabalhando em uma atualização de software para resolver o problema de altas temperaturas.

“Infelizmente, apesar de nossos melhores esforços, não fomos capazes de desenvolver uma solução sem comprometer totalmente a experiência do usuário”, diz a empresa em comunicado. Por isso, quem comprou o Basis Peak poderá devolvê-lo e receber de volta o valor da compra.

A Basis pede que todos os clientes devolvam o smartwatch, mesmo se não encontraram problemas, porque os serviços do Peak serão interrompidos em 31 de dezembro – o relógio deixará de sincronizar dados e se tornará inútil.

Como nota a PC World, a Basis não tem mais produtos vestíveis à venda, colocando em xeque o destino da empresa e a estratégia da Intel em wearables.

[Basis via Engadget e PC World]