Caçadores de restos de navios descobriram embarcação afundada há mais de 200 anos

Grupo de caçadores de restos de navio achou uma embarcação do século 18, que pode ajudar como era a vida dos comerciantes dos Grandes Lagos, na América do Norte.

Um grupo de caçadores de restos de navio achou os escombros do Washington, um navio mercante do século 18 que afundou no Lago Ontário, no Canadá, em 1803. A embarcação de 16 metros é a segunda mais velha já achada na região dos Grandes Lagos, que compreende partes do Canadá e dos Estados Unidos.

O Washington transportava peles e artigos domésticos pelos lagos Eerie e Ontaria no século 18. Em 6 de novembro de 1803, ele deixou o porto de Kingston com direção ao Niagara com duas tripulações e uma série de comerciantes à bordo. Uma forte tempestade começou a se desenvolver no Lago Ontário no fim deste dia, e o navio nunca mais retornou ao porto. Não teve sobreviventes, e apenas parte do navio apareceu boiando na costa.

A embarcação tem importância histórica por uma série de razões. Como o time responsável pela descoberta observou no site deles, é o navio mercante mais antigo achado na região dos Grandes Lagos, e ele é um modelo pouco estudado que foi logo substituído por escunas. Acredita-se que muitos navios passaram pela região dos Grandes Lagos durante a Guerra de Independência nos Estados Unidos e a Guerra de 1812, porém há poucos artefatos deste período.

Imagem do navio Washington dentro do mar. Crédito: Roger Pawlowski

“Isso nos dá uma melhor compreensão de como era a vida nos Grandes Lagos naquele tempo”, disse Carrie Sowden, diretor arqueológico do Museu Nacional dos Grandes Lagos, ao Wall Street Journal.

A equipe que descobriu os restos conta com três aposentados de Nova York: o mergulhador especialista em restos de navio Jim Kennard, que já achou mais de 200 embarcações desde 1970; um ex-piloto de reserva e engenheiro eletricista Roger Pawlowski e o arquiteto aposentado Chip Stevens. A equipe que sai para buscar restos de navio de 15 a 20 vezes ao ano descobriu que o Washington estava em águas profundas usando um escâner sonar no fim de junho. Um veículo submarino controlado remotamente foi enviado ao local três semanas após a descoberta para tirar fotos em alta resolução e confirmar o achado.

Por mais satisfatória que tenha sido a descoberta, a equipe não tem planos de salvar o barco, ou divulgar sua localização para o público em geral. Análises mais aprofundadas dos restos serão feitas por arqueólogos. Acredita-se que há centenas de embarcações afundados no Lago Ontário, e milhares deles localizados na região dos Grandes Lagos.

[Shipwreck World via Wall Street Journal]

Sair da versão mobile