O fotógrafo e explorador urbano russo Ralph Mirebs publicou umas das séries de fotografias mais tristes da exploração espacial. Ele conseguiu entrar num hangar abandonado no Cosmódromo de Baikonur, onde dois Burans — os protótipos dos ônibus espaciais do programa espacial russo — estão lentamente se desfazendo em sua cripta funerária.

>>> 8 dos acidentes mais embaraçosos na exploração espacial
>>> Por que a Rússia estava estudando a cópula das lagartixas… no espaço?

O programa Buran dos soviéticos durou quase duas décadas (de 1974 a 1993), e apenas um voo orbital automático foi completado antes de o projeto inteiro ser cancelado, devido à falta de verbas após o colapso da União Soviética.

Nas fotos abaixo, você pode ver dois ônibus Buran cobertos de ferrugem no hangar. A estrutura ainda impressiona: ela foi originalmente construída para a montagem do foguete lunar soviético N1, e foi depois usada para manutenção de satélites, bem como para conectá-los aos lançadores Energia — é um papel bastante similar ao do VAB (Vertical Assembly Building) da NASA.

Um dos dois ônibus espaciais é o OK-1K2, apelidado Ptichka (passarinho), que quase ficou pronto para voo em 1992. Ele deveria fazer um segundo voo em modo automático, partindo da estação espacial soviética Mir. O segundo ônibus é uma maquete estática em tamanho real para testes. E é muito, muito triste vê-las neste estado de abandono.