Por Thiago Simões

Imagine um jogo financiado por jogadores apaixonados por um gênero e sendo testado há mais de 4 anos, um projeto que deixaria até mesmo o “Pofexô” Luxemburgo encantado.

Project Cars foi desenvolvido com a ajuda direta do “Community Assisted Racing Simulator”, a abreviação de CARS presente no nome, e trouxe ao mundo dos games um escopo no jogador hardcore, focando em ajustes minuciosos dos veículos e em estratégias de corrida. É um título muito mais voltado à área de simuladores, como iRacing, Assetto Corsa e os títulos da franquia Simbin, do que algo voltado ao Forza e Gran Turismo.

É desta forma que podemos resumir em poucas palavras o que significa o lançamento de Project Cars no mercado. Como já é de praxe, jogos voltados para a simulação possuem menus robustos e complexos e que demandam um pouco mais de tempo para que o jogador possa interagir de forma satisfatória. Paciência é o mantra! Deixe a ansiedade de lado e prepare-se para gastar um bom tempo até entender tudo o que se passa no game. Quem não está acostumado com simuladores de corrida, com certeza, penará um pouco para encontrar opções básicas, mas nada do outro mundo.

Project Cars

O grande motivo para comprá-lo

Poucas vezes eu senti em um título de corrida o desgaste natural dos pneus. Talvez em alguns jogos da série Sinbin e no Assetto Corsa. É algo latente e que fica evidente, dependendo da configuração executada antes da corrida e a forma de pilotar. Pode ter certeza que se você forçar em uma curva, for agressivo em um determinado momento da prova, certamente pagará o preço mais a frente. Mas, não foi só isso. Dificilmente eu também sinto um desgaste natural das peças do carro e a estratégia previamente definida antes da corrida, sendo um fator decisivo durante uma prova.

O que mais impressiona é que você não tem apenas a noção de que as modificações naturais de uma corrida acontecem apenas no seu veículo. Você também percebe a variação nos carros controlados pela inteligência artificial. Durante a corrida, a AI te respeita sem deixar de ser agressiva, fazendo com que você não perca a cabeça com ultrapassagens desastrosas dos seus adversários controlados pelo computador.

Aliás, pilotar os diversos carros exigirá estudo e dedicação, pois cada um deles possui um modo diferente de pilotagem, principalmente se você optar por um volante na hora de se divertir.

Modo Carreira

Como já era de se esperar, o Modo Carreira, “carro chefe” de um título com esta característica, está presente no jogo. Mas, diferentemente de outros títulos que o utilizam, Project Cars já libera tudo desde o início para que os jogadores possam ter a liberdade de começar por onde bem entenderem. Com 32 campeonatos disponíveis, desde Kart até LMP1 Pan-Euro Masters e Formula C British Series. Cada modalidade tem sua particularidade, com regras e veículos diferentes. Você pode atuar em cada uma e até ser um convidado especial em algumas delas.

Ao todo, são 72 pistas de corrida, e não as 110 anunciadas, com traçados variantes de provas mundialmente conhecidas, como Donington Park, Le Mans, Monza, Oschersleben, Spa, Laguna Seca e Road America.

Uma opção que pode deixar os apaixonados por corrida desapontados é o baixo número de veículos, 74 no total, mas não se preocupe: a Slightly Mad Studios já informou que diversos DLCs com máquinas possantes serão lançados gratuitamente.

Gráficos

Todo parâmetro atual leva em consideração sua beleza e, neste quesito, o jogo cumpre seu papel. Pela primeira vez, será possível presenciar carros com resolução de 12K no PC. A questão é que para você chegar neste limite é preciso ter pelo menos 3 televisores com resolução 4K. Quem sabe na outra vida, né?

Como visto em Assetto Corsa, os raios de sol interferem na visão do piloto, principalmente, se você optar pelo método tradicional de pilotagem, aquele em que você vê a pista pela visão do piloto. As luzes em corridas escuras surpreendem e trazem uma beleza impressionante. A chuva também está presente e, como o novo parâmetro para clima chama-se “Drive Club”, Project Cars não faz feio, mas deixa um pouco a desejar se comparado ao game do PS4.

Project Cars 2

O mundo online

Tem um PC? Então prepare-se para se aventurar contra 31 pilotos pelo mundo. Tem um console? Sem problemas, a diversão diminui para, no máximo, 16 carros na pista, o que não deixa de ser divertido. Fizemos o teste e não detectamos muito atraso ou bugs entre as corridas.

O título ainda possui pontos a serem melhorados. O sistema de colisão ainda está cheio de bugs e a taxa de frame cai consideravelmente quando muitos carros aparecem na tela. Outros bugs mais sérios, como a dificuldade de sair de uma corrida online e inversão de posição sem ultrapassagem, foram relatados por diversos jogadores. Vamos torcer para que isso seja arrumado o mais rápido possível.

Project Cars surgiu para ser apenas um jogo bonito e com gráficos extremamente sensacionais. A promessa foi cumprida à risca, e mais: Project Cars transformou-se em um simulador de respeito, que deve preencher uma boa lacuna na vida dos gamers hardcore, sem afastar os mais casuais e que procuram apenas uma boa diversão.

divisoriagizmodo

Thiago Simões é comentarista de futebol e hóquei no gelo na ESPN, e toda segunda-feira ele falará de games em sua coluna para o Gizmodo Brasil. Siga o Thiago no Twitter.