O Zune HD é, sem dúvida, o PMP dedicado mais comentado deste ano. A Microsoft espera que este aparelho de alta qualidade atraia viciados em mídia e também aqueles que estão procurando por algo diferente. Mas será que esse bafafá todo é justificado?

A grande questão: será que o Zune HD conseguirá concorrer com o iPod Touch? Mas eu acho que a Microsoft não está tentando fazer o Zune competir com o iPod. O Touch é na verdade um computador de bolso com um programa excelente para música e vídeo. Quando você pega seu Touch, você pode tanto jogar jogos ou checar seu e-mail como você pode ouvir música. PMPs da Archos e da Creative usam Android, um sistema operacional para dispositivos móveis, para fazer coisas semelhantes.

O Zune HD é uma evolução do PMP, não um retrocesso do smartphone. Cada função nova que ele tem é usada para expandir a forma como você absorve mídia, da saída de vídeo em alta definição até o rádio HD, chegando na interface de usuário repaginada.

Hardware

O Zune HD não é um retângulo curvado com uma tela, como o iPod Touch: tem um design decididamente industrial, luxuoso, angular e fino. Com a parte de trás angulosa, parafusos visíveis e um botão Home longo e fino, o Zune HD tem um visual bastante próprio.

Feito de alumínio, plástico preto emborrachado e vidro, o Zune HD dá uma sensação firme e compacta ao ser segurado. A tela widescreen oferece menos espaço para aplicativos não-relacionados a mídia, como navegar na internet, mas para mídia — a razão de ser do Zune HD — o tamanho é muito bom. Ele não vai exatamente caber no bolso pequeno do seu jeans, mas ele cabe até mesmo em bolsos mais largos, mas mais apertados. O iPod Touch é uma fração de milímetros mais fino que o Zune HD, mas como ele tem um formato mais estreito, a sensação é de que ele é bem menor.

A belíssima tela OLED touchscreen capacitiva, de 3,3 polegadas, ocupa a maior parte da frente do aparelho. Mais sobre ela abaixo. Ela está rodeada por três botões físicos: abaixo da tela fica o botão Home, na parte superior fica o botão liga/desliga/trava, e no lugar de um controle de volume, o Zune HD tem um botão no lado esquerdo que traz as opções Quickplay. Essas opções surgem na tela e incluem volume, mudança de faixa e tocar/pausar. O Quickplay pode ser configurado para funcionar mesmo quando o Zune está travado.

Na parte de baixo do aparelho fica a porta proprietária do Zune (o Zune HD funcionará com todos os acessórios para Zune) e a entrada para fone de ouvido. A bateria supostamente aguenta 33 horas de música e 8 horas e meia de vídeo, o que é bastante se for verdade (até porque os Zunes anteriores tinham uma bateria, no mínimo, bastante fraca). O Zune HD não tem nem alto-falante nem câmera, mas isso não é necessariamente algo ruim — mas esses dois acréscimos seriam bem-vindos.

Tela

Um dos primeiros PMPs com uma tela OLED (o Sony X-Series é outro), o Zune HD teoricamente tem uma imagem mais nítida e pretos mais definidos comparados a telas LED como a do iPod Touch.

A tela do Zune HD é sensível a toque, capacitiva, com 3,3 polegadas e multitoque, e de proporção 16:9 (widescreen) mas, ironicamente, possui resolução não-HD de 480×272. O iPod Touch, por sua vez, tem tela LED capacitiva e multitoque de 3,5 polegadas, mas com proporção 4:3 (fullscreen) rodando a 480×320, que é mais eficiente para navegar na internet mas um desperdício de espaço para reproduzir mídia. Ambas são semelhantes quanto à agilidade, sendo tão precisas quanto qualquer outra touchscreen capacitiva que você encontra por aí.

A tela do Zune HD com certeza tem imagem mais nítida e com cores mais vivas que o iPod Touch, quando comparado com o mesmo vídeo (um episódio em definição padrão de Anthony Bourdain: No Reservations). Os pixels do iPod Touch estavam bastante visíveis e a cor parecia desbotada e fraca, comparada com o Zune HD. No entanto, o OLED não ganha em tudo: a tela do Zune HD reflete muito, então é difícil ler com luz do sol, enquanto a tela LED do iPod era bastante fácil de ler nas mesmas condições.

Parte da diferença se deve à tecnologia, e parte à interface do usuário. O iPod Touch usa texto preto em fundo branco para navegação de música e vídeo, enquanto no Zune HD é o contrário. O fundo preto do Zune HD age como um espelho, tornando difícil ver muita coisa além da sua cara irritada.

Vídeo

Para aproveitar a boa tela OLED, a Microsoft está estimulando a reprodução de vídeo de alta qualidade no Zune HD. Comparações com o iPod Touch de lado, meu vídeo HD de demonstração (um episódio a 720p de Battlestar Galactica comprado na Zune Store) brilha. Toque na tela enquanto o vídeo está tocando, e surgem os controles Quickplay com tudo o que você precisa.

O suporte a codecs, no entanto, reduz o apelo do Zune HD como um player de vídeo para qualquer formato. Ele reproduz WMV, MP4, H.264 e DVR-MS (vídeo gravado no Windows Media Center), o que significa que ele tocará vídeos formatados para iPod (exceto, é claro, arquivos com DRM). Mas faltam todos os codecs com os quais os piratas de vídeo se importam, principalmente DivX para definição padrão e MKV para alta definição. Se você tem um monte de vídeos em HD baixados por torrent em formato MKV, como eu, você esta ferrado: eu tentei vários conversores de vídeo (iSquint, Cucusoft, Handbrake) e não consegui gerar vídeos com qualidade decente em formato compatível com o Zune. Se a Microsoft não quis incluir um conversor no software, que pelo menos fizesse o Zune HD suportar DivX (como o Samsung P3).

Mas o Zune HD está na verdade de igual pra igual com os líderes (iPod Touch, Sony X-Series) em suporte a codecs: os três forçam você a ou comprar o vídeo diretamente da loja do fabricante ou a converter seu vídeo nos formatos específicos deles. A Microsoft poderia ter ganho o coração de viciados em vídeo oferecendo suporte a DivX e MKV. É um saco ter que converter todo vídeo que eu queira ver no meu PMP.

Se você tiver muitos vídeos de torrents, eu recomendaria o Samsung P3, apesar de que o Zune HD é melhor do que ele em todas as outras características.

Zune como um media center

A capacidade sem igual do Zune HD de reproduzir vídeos em 720p é um dos grandes pontos fortes do aparelho, e olha só: é tudo o que você esperaria que fosse. O vídeo é nítido, claro e fluido, com a mesma qualidade de um vídeo reproduzido através de um media center grande. A interface, como um todo, se adapta muito bem à tela grande, um pouco simplificada para ficar mais rápida (por exemplo, não há imagem do artista ao fundo da tela "Reproduzindo agora"). Não tem tantas funções quanto um home theater PC, mas só para reproduzir suas mídias, ele faz um bom trabalho. O protetor de tela na tela "Reproduzindo agora", em especial, fica demais numa HDTV grande.

Mas para aproveitar as vantagens de conteúdo HD na sua televisão, você precisa comprar um dock AV de 90 dólares, que vem com o próprio dock (incluindo antena e rádio), um controle remoto, um cabo HDMI e um cabo RCA. Vale a pena? Eu diria que sim, se você planeja comprar bastante conteúdo HD da Zune Store. Se você só quer exibir vídeo na TV, você pode comprar o pack AV de definição padrão para Zune por menos de 20 dólares, compatível com o Zune HD. No entanto, se você quiser economizar, você vai perder grande parte do diferencial do Zune HD. Não faz mal jogar alguns arquivos mp3 de 128kbps pra escutar enquanto você anda de ônibus, mas você não estaria aproveitando as vantagens que o Zune HD oferece.

Interface do usuário

Usar o Zune HD e o iPod Touch é irritante: eles fazem basicamente as mesmas coisas, mas têm interfaces muito diferentes. A interface do Zune HD tem o oposto do minimalismo da Apple, constantemente variando entre a beleza e superestimulação completa dos olhos. É texto branco sobre fundo preto, e tem a opção de design muito legal (e corajosa) de dar zoom em certos ítens de tal forma que eles ficam maiores do que a tela. Por exemplo, da palavra "Marketplace" não aparecem o último "e" nem metade do "c". Alguns vão odiar o design, mas eu achei bastante interessante, uma escolha rebuscada e agressiva. Mesmo quando a interface parece meio bagunçada, o que às vezes acontece, ainda é uma beleza de se olhar.

Tela inicial (Home)

A tela inicial na verdade são duas em uma. Tem uma lista padrão de funções, no caso "música, vídeos, fotos, rádio, marketplace, social, podcasts, internet, configurações", mas também tem um menu Quickplay reduzido na parte esquerda da tela.

O menu Quickplay reflete a nova tela inicial do software do Zune: ele mostra a capa do álbum e o título da música tocando (se tiver tocando alguma música), mas também seus "Pins", "Histórico" e "Novo". Pins são como favoritos: você pode tocar e segurar qualquer tipo de item (música, podcast, vídeo, foto) e colocá-lo neste menu. É ótimo se você estiver ouvindo algo longo, como um audiobook ou um podcast. O histórico são os ítens reproduzidos recentemente, e Novo mostra os ítens mais recentes que você sincronizou com o Zune HD. Este último é o meu favorito: eu tenho uma coleção de música gigante e sempre em expansão, e geralmente esqueço quais álbuns eu acabei de colocar no meu PMP. Também é ótimo se você usa o serviço de assinatura ZunePass, já que você vai baixar tanta coisa que vai esquecer o que você queria ouvir.

Navegação

O Zune HD usa o mesmo método de segurar-e-deslizar de navegação touchscreen que o iPod Touch e o Sony X-Series, mas, assim como o X-Series, ele não parece tão fluido ou estruturado como no iPod Touch. Tentar rolar uma lista muito grande de artistas demora mais do que deveria, e talvez por isso a Microsoft tenha implementado um alfabeto nas listas. À medida que você passa pela lista de artistas, álbuns ou seja lá o que for, as letras são colocadas nos lugares apropriados (no meu, a lista de artistas fica assim: "Iron and Wine, Islands, J, Jay Reatard, Joe Strummer and the Mescaleros"). Selecione uma dessas letras para que surja todo o alfabeto, e selecionar uma das letras leva você direto à letra selecionada.

Este é um método decente de navegar rapidamente por listas grandes, mas seria melhor se as letras estivessem separadas da lista. Eu acidentalmente selecionei uma letra quando queria selecionar um artista: esse problema seria facilmente resolvido se a lista de letras estivesse separada no lado direito da tela.

Navegar por listas de artistas é bastante fácil — mas não completamente. Há um certo problema de continuidade com a função "Back". Na tela Reproduzindo agora, ela é uma seta para a esquerda no canto superior esquerdo, o que é bastante óbvio. Mas quando você seleciona o botão, você vai para a página da música (com opções como enviar por e-mail ou dar nota), mas agora não tem mais um botão de voltar. Em vez disso, tem uma palavra escrita em letras enormes, tão grandes que elas são cortadas e não dá para ler. Estas letras na verdade são o nome do álbum, e tocar nelas funciona como um botão voltar, levando você de volta para o álbum. Isto pode ser consertado com uma atualização de firmware: é só colocar um ícone "voltar", como na tela Reproduzindo Agora!

Reproduzindo Agora

A tela Now Playing espertamente acha a foto do artista e a usa como papel de parede, e eu adoro o protetor de tela que vai deslizando com o nome do artista, nome da faixa, nome do álbum, duração e capa. A Microsoft acertou em cheio o design avançado aqui — mas e as coisas óbvias? Como eu pauso, avanço ou retrocedo as faixas, ou altero o volume? Não é tão fácil quanto deveria.

Todos esses controles foram deixados para outro menu Quickplay, ativado ou pelo botão no lado esquerdo ou ao tocar em alguma área da tela que não tenha botões. Eu não quero ter que abrir um submenu só para pausar a música ou ajustar o volume quando opções relativamente pouco importantes, como dar nota às músicas, têm espaço próprio na tela.

De novo, eu entendo porque a Microsoft ficou tão enamorada com a beleza da interface (ela é de fato bastante atraente) que eles se recusaram a ajustá-la para incluir controles simples de reprodução.

Rádio

Foi uma surpresa ver que rádio FM se tornou um assunto bastante discutido quando se fala de PMPs, graças ao anúncio da Microsoft de que o Zune HD iria suportar rádio HD, e agora a reversão de ódio da Apple em relação a rádio, com o novo iPod Nano. Mas rádio HD é outro exemplo de como a Microsoft expandiu as fronteiras do PMP: "Então você suporta rádio FM? Nós vamos fazer isso, e muito melhor."

Rádio em alta definição significa mais estações e (esperamos) maior qualidade de audio. O rádio do Zune HD geralmente capta duas transmissões simultâneas de uma estação, como a KFOG-1 e KFOG-2 em São Francisco (EUA). A recepção do Zune HD é excelente, pelo menos tão boa quanto a do iPod Nano, capaz de sintonizar algumas estações em HD, tudo com dados RDS (artista, nome da música). Como o Nano, o Zune HD consegue pausar e fazer cache de rádio ao vivo: uma boa função, mas (assim como o Nano) ele não grava rádio.

Navegador de internet

Esta é uma bela de uma surpresa, depois de ver o navegador do Sony X-Series fracassar vergonhosamente bem na minha frente, mas o navegador do Zune HD é fantástico. A tela widescreen de 3,3 polegadas é mais estreita que a do iPod Touch, e as páginas carregam um pouco mais devagar, mas fora isso temos um navegador com muitas funções, rápido e ágil. O acelerômetro é bastante rápido, navegar pela página é algo fluido e fácil, e as funções multitoque padrão (pinch, arrastar) funcionam bem. Infelizmente, o Zune HD não suporta YouTube nem outros sites com vídeos em Flash, o que seria uma função boa para escutar música.

 

O teclado virtual é bastante funcional (se bem que é um pouco pequeno), a busca pelo Bing funciona bem, e mesmo um site pesado como o Gizmodo carrega sem problemas. Por favor, Microsoft, coloque esse navegador no Windows Mobile!

Sincronização

O software do Zune foi atualizado com algumas funções novas e leves mudanças na interface, para se equiparar ao Zune HD. Agora ele tem uma página inicial parecida com o Quickplay do Zune HD, e coloca mais ênfase no Smart DJ, uma evolução do serviço de recomendação da Microsoft à la Pandora. Quem não é membro do serviço de assinatura ZunePass recebe recomendações da própria biblioteca de música; quem é membro recebe recomendações da grande biblioteca do ZunePass. Mas mudou pouco, o que é uma boa coisa.

O Zune HD é, como os outros Zunes, restrito ao Windows. Ele só sincroniza com o software do Zune, que é restrito a Windows.

Isto, obviamente, é um grande erro da Microsoft. Usuários de Mac fazem parte do público-alvo interessado no Zune HD: adoram mídia, curtem gadgets com estilo, e têm dinheiro para gastar com tecnologia. Meu Deus, o Zune HD platinum de 32GB parece com os modelos monobloco dos Macbooks Pro! Mas, como este é mais um Zune que releva a compatibilidade com Mac, parece certo que a Microsoft desistiu de converter viciados em Apple.

Apps

Bem, existem apps, tecnicamente. Mas a Microsoft vem reforçando que o Zune HD é, antes e acima de tudo, um dispositivo de mídia — não existe pacote SDK para desenvolvedores, então desenvolvimento independente está fora de questão por enquanto, e a equipe do Zune parece estar pouco interessada em competir com a App Store da Apple. Quando foi lançado, o Zune HD tinha disponíveis sete jogos e dois aplicativos (calculadora e tempo). Os jogos são só ports de Zunes antigos, como pôquer e sudoku. Além disso, a Microsoft confirmou que aplicativos para Twitter e Facebook chegarão para o Zune HD, mas só em novembro.

As poucas opções em apps só confirmam que o Zune HD é um PMP e não um computador móvel. Você nem pode colocar um app na tela inicial: eles ficam presos na seção apps, bem no fim da lista, como se fossem uma criança de castigo.

No entanto, a equipe XNA acabou de lançar um add-on para o XNA Game Studio 3.1 que permitirá a desenvolvedores criar apps para o Zune HD. Eles demonstraram, como prova, um app multitoque para desenho, o que é bastante legal — mas lembre-se: apps (assim como música e vídeo) precisam ser carregados no Zune através do programa específico, e vai saber se a Microsoft vai deixar programas de desenvolvedores independentes no marketplace.

O melhor da sua espécie

O Zune HD é o melhor PMP com touchscreen do mercado. Ele tem a visão mais única, o hardware mais impressionante e o software mais estiloso. Ele tem um bom preço, de 220 dólares pelo modelo de 16GB e 290 dólares pelo de 32GB, mas eu acho que o dock de 90 dólares é um acessório necessário.

Mas não sei se isso basta. PMPs como o Zune HD e o Sony X-Series tentam avançar inserindo funções novas e impressionantes de reprodução de mídia, mas o sucesso do iPod Touch mostra que só reproduzir mídia não é mais o bastante. Parece que as pessoas querem computadores de bolso (seja em forma de smartphone ou quase-smartphone) ou dispositivos mais simples e menores, como o iPod Nano ou a linha Sansa, da SanDisk. Então o Zune HD não deve roubar vendas do iPod Touch, mas vai deixar executivos da Samsung e da Sony com muita inveja.

Termino o review desejando que a Microsoft coloque (ou seja: force) a equipe do Zune a trabalhar com a equipe do Windows Mobile para criar um celular-PMP. O Zune HD é um PMP ótimo, mas poderia ser um celular inacreditável, de cair o queixo.

 Visual chamativo e pouco comum

 Integração de software é excelente

 Funções avançadas de mídia, como saída de vídeo em alta definição e rádio HD

 Navegador de internet surpreendentemente excelente

Requer acessório de 90 dólares para ser HD de fato

 Interface é linda, mas um pouco confusa

Capacidade restrita a 16GB e 32GB

 Suporte a codecs decepciona