A casa de câmbio Bitfinex, de Hong Kong, informou ontem que hackers roubaram 119.756 bitcoins, o equivalente a US$ 72 milhões (algumas reportagens alegam que o valor é ainda maior). A notícia fez com que o valor da criptomoeda despencasse 23%; ela se recuperou um pouco, e está em cerca de US$ 556. A Bitfinex disse que nenhum outro tipo de moeda digital foi roubada.

• Mt. Gox, maior casa de câmbio para Bitcoins, desaparece com dinheiro dos usuários
• Os seis maiores assaltos a Bitcoin: US$ 600 milhões perdidos com a moeda virtual

A Bitfinex é a maior casa de câmbio para trocas de bitcoin por dólar. O golpe representa um dos maiores assaltos desse tipo, chegando perto apenas do caso da Mt. Gox, que foi hackeada em 2015. Embora outros casos similares já tenham acontecido várias vezes, poucos causaram uma flutuação tão grande no mercado quanto agora.

Ainda é cedo para saber exatamente como a casa de câmbio foi assaltada, mas o The Next Web informa que ela não guardava bitcoins offline, o que significa que os usuários precisavam proteger suas próprias carteiras. Isso pode ter tornado a Bitfinex um alvo atraente. O professor de ciência da computação da Universidade de Cornell, Emin Gün Sirer, sugere em seu blog que implementar um sistema complexo de “cofre” poderia ajudar a evitar esse tipo de invasão.

Um roubo de bitcoins é um pouco diferente de um golpe em bancos digitais convencionais. Enquanto os bancos tradicionais podem rastrear e reverter as transações, uma das principais razões para o bitcoin existir é o seu relativo anonimato e irreversibilidade. Mas isso também significa que pessoas como o usuário do Reddit nukumu, que afirma ter perdido 12 anos de economias no golpe, sofrem com o prejuízo.

A Bitfinex diz em comunicado que irá “procurar por diferentes opções para reparar os prejuízos de seus consumidores” enquanto a investigação continua. Ainda não sabemos exatamente como isso será feito; mas para muitas pessoas que acordaram hoje em meio a esse pesadelo, esperamos que a solução chegue logo.

[Bitfinex via Reuters]