Desde 2004, Sony e Samsung estabeleceram uma joint-venture para fazer telas de LCD. Nos últimos anos o negócio estava perdendo valor, devido a alta concorrência de outras asiáticas e a queda constante do setor de TVs da Sony. E a japonesa caiu fora: a Samsung anunciou hoje que comprará o pedaço da Sony na iniciativa por pouco menos de 939 milhões de dólares. O que será do negócio de TVs da antigamente imbatível linha de Bravias?

Além do design, com as coreanas buscando linhas de televisores cada vez mais anoréxicos, hoje é muito difícil diferenciar as melhores TVs de LCD (LED ou não) umas das outras. E isso se deve em grande parte da fabricação de componentes ser conjunta. Samsung e Sony têm na prática quase a mesma qualidade de imagem em termos de hardware — a Sony apostava em um processador de imagens teoricamente mais esperto (o Bravia Engine) para fazer a diferença, além do logo imponente. Mas para a maioria das pessoas, uma boa “TV de LED” de qualquer uma das fabricantes, com seus 120+Hz são basicamente iguais entre si.

A Philips já sentiu a commoditização do mercado e acabou vendendo seu negócio para a AOC. Depois de perdas de mais de 1 bilhão de dólares no último ano (puxadas pelo mau resultado dos televisores), a Sony pode acabar na mesma situação. O que ela poderia fazer para mudar? Segundo a agência Reuters, os japoneses já estariam buscando uma terceirização completa da fabricação de telas, se concentrando em um serviço inovador de “conteúdo” para substituir a TV a cabo. Se ela conseguir uma boa solução, acordos interessantes, pode ser a grande saída. Todo mundo tem telas legais. Mas eu quero agora me livrar totalmente das altas mensalidades da TV paga. Acompanhemos a novela. [Info]