Após relatos de explosão, mesmo com unidades substituídas do Galaxy Note 7, a Samsung emitiu um comunicado nesta segunda-feira (10) anunciando a interrupção de vendas em todo mundo e as trocas de seu smartphone flagship.

O principal motivo pelo qual baterias explodem e pegam fogo
Unidade de substituição do Galaxy Note 7 entra em chamas dentro de avião
Samsung se precipitou com o Galaxy Note 7 para contra-atacar novo iPhone, diz Bloomberg

Em um blog post, a Samsung informa que a medida foi tomada para que sejam feitas mais investigações sobre os casos:

“Estamos trabalhando com reguladores para investigar os recentes casos reportados envolvendo o Galaxy Note 7. Como a segurança dos consumidores continua sendo nossa maior prioridade, a Samsung vai pedir para todas as operadoras e varejistas para interromperem as vendas e trocas de dispositivos Galaxy Note 7, enquanto ocorrem as investigações.”

A empresa ainda recomenda que donos de dispositivos Galaxy Note 7 novos ou que foram recentemente substituídos parem de utilizar o aparelho, e que utilizem as condições disponíveis. Algumas operadoras nos Estados Unidos, por exemplo, passaram a oferecer neste domingo (9) a troca por outros dispositivos após os incidentes envolvendo o aparelho da marca sul-coreana.

As primeira notícias relacionadas à explosão de dispositivos Galaxy Note 7 começaram a aparecer no fim de agosto. Foram relatados diversos casos em países onde o aparelho foi lançado — fazendo até com que autoridades aéreas, inclusive brasileiras, banissem o aparelho de voos —, até que a companhia anunciou um recall de unidades nos Estados Unidos em setembro.

A substituição, em tese, forneceria um aparelho sem problemas aos usuários. No entanto, algumas unidades trocadas também chegaram a explodir.

A Samsung lembra que “o produto ainda não foi comercializado no Brasil e teve seu lançamento adiado”.