Uma equipe de cientistas da Universidade de Surrey, no Reino Unido, estão dando os toques finais a um satélite, chamado STRaND-1. Previsto para ser lançado no dia 25 de fevereiro, o monstro hi-tech é equipado com um… Nexus One?

O satélite, que tem 30 centímetros de largura e pesa 4,5 kg, vai ser lançado em uma órbita heliossíncrona de 785 km da Índia. É realmente um campo de testes, o que explica o uso de um smartphone agora morto. O Doutor Chris Bridges, principal engenheiro no projeto, explicou à IET:

Um smartphone em um satélite como esse nunca foi lançado antes mas nossos testes foram bem rígidos, submetendo o telefone a temperaturas quentes e altas, ao vácuo, e com rajadas de radiação. Há uma grande chance de funcionar como deve, mas você nunca consegue criar verdadeiras evoluções de design ou promover a inovação sem tomar alguns riscos: o STRaND-1 é legal porque permite fazer exatamente isso.

Recursos do Nexus One (e também de outros smartphones) são bastante úteis para satélites, como câmera, rádio, acelerômetros e processadores de alta performance. O STRaND-1 vai usar apps desenvolvidos especialmente para ele (e em caráter experimental) para a coleta de dados.

Mas o STRaND-1 não é exatamente o primeiro satélite com Nexus One como “cérebro”. A NASA desenvolveu os PhoneSats – pequenos satélites cúbicos de baixo custo que devem ser lançados neste ano. Um deles – o PhoneSat 1.0 – usa o Nexus One, enquanto o 2.0 está sendo desenvolvido com o Nexus S.

A tecnologia espacial fica atrás do que é usado na Terra em termos de computação, já que é importante que os dispositivos sejam sólidos e confiáveis. [IET, The Next Web]