Uma cidade de 3400 anos emergiu em pleno Rio Tigre, no Iraque. A extensa cidade possui um palácio e vários edifícios grandes e fez os arqueólogos envolvidos nesta ação acreditarem ser a antiga Zakhiku.

O Iraque é um dos países mais afetados pela recentes mudanças climáticas, especialmente pela seca. Em particular, o sul do pais sofre com a estiagem intensa há meses e, para evitar que as colheitas sequem, grande quantidade de água foi retirada do reservatório de Mosul.

Isso fez com que reaparecesse essa cidade da Idade do Bronze. Os arquéologos alemães e curdos, reponsáveis pela descoberta, acreditam ter sido um importante centro do Império Mittani (ca. 1550-1350 aC), que controlava o note da Mesopotâmia e da Síria . Está localizado em Kemune na região do Curdistão, no Iraque.

A descoberta fez com que os cientistas fossem colocados sob forte pressão para escavar e documentar a cidade antes que a água cobrisse tudo novamente.

Os arqueólogos decidiram espontaneamente realizar escavações conjuntas que ocorreram em dezembro do ano passado a fevereiro deste ano em colaboração com a Direção de Antiguidades e Patrimônio de Duhok, no Iraque.

Em pouco tempo, foi possível  mapear uma enorme fortificação com muralhas e torres, um edifício monumental de armazenamento de vários andares e um complexo industrial. Os pesquisadores ficaram impressionados com o estado de conservação levando em consideração que estavam submersas por mais de 40 anos.

“O enorme prédio é de particular importância porque nele devem ter sido armazenadas enormes quantidades de mercadorias, provavelmente trazidas de toda a região”, disse a arqueóloga Ivana Puljiz, da Universidade de Freiburg, na Alemanha.

Para evitar danos ao local pelo o aumento da água, os edifícios foram completamente cobertos com lonas plásticas e com cascalhos. O local encontra-se agora completamente submerso.