Em seu último fascículo como o querido astroblogueiro do Gizmodo, o astronauta na vida real Leroy Chiao fala sobre o tópico tabu de sexo no espaço. Será que algum dia acontecerá? aconteceu? Acho que vocês terão que ler para descobrir…

Se alguém já fez sexo no espaço? Até hoje eu posso lhe dizer com bastante ênfase que não. Como posso ter tanta certeza? Simples: caras são caras. Se um cara tivesse feito sexo no espaço, ele não conseguiria resistir ao impulso de não sair se gabando do feito. Não estou certo? Desculpem-me desapontá-los, mas está aí a sua resposta. Todos nós saberíamos se isto já tivesse acontecido. Ou, devo dizer, nós todos com certeza saberemos quando acontecer.

Mas então, o que rola? Nós temos bonecas infláveis ou robôs pra cuidar da pressão? Não, e não que a gente vá querer algo assim! Humanos(as) têm uma aparência bem melhor.

Além disso, será que fazer sexo no espaço – fora os direitos autorais de se gabar pelo resto da vida – seria tão bom assim? Desde a semana passada eu mostrei a vocês as dificuldades de fazer certas coisas em microgravidade e o potencial de fazer umas lambanças danadas de nojentas. Ou seja, basta você aplicar tudo o que você aprendeu e honestamente calcular se o sexo seria melhor (ou sequer bom) lá em cima. Você e seu(sua) parceiro(a) precisariam se ancorar de algum modo (em todos os seis ângulos de liberdade), caso contrário você poderia se chocar com algo bem pior que a cabeceira de uma cama. E alguns objetos, apesar de não serem exatamente pontudos (somos cuidadosos quanto a isto) podem realmente machucar em um choque durante um momento de paixão!

Então o que nos resta? O que você acha? Existe uma regra sobre nem álcool (para beber) ser permitido a bordo da nave porque a NASA acha que isto daria uma má imagem. Você consegue imaginar a NASA falando sobre sexo dentro das naves? Ha! Sem chance!

E no futuro, quando voarmos por mais tempo e mais longe no espaço? É fácil. As tripulações atuais já são mistas e as tripulações serão cada vez maiores com o tempo. Conforme o tempo passa, haverá uma transação gradual de tripulação para colônia (por exemplo, uma base lunar permanente). Exatamente como no seu escritório agora, romances surgirão (sendo que os envolvidos sempre acharão serem secretos) e as coisas tomarão seus rumos naturais.

E as pessoas ainda na Terra (amigos do cara) ficarão sabendo da história quase imediatamente após acontecer. A notícia então rapidamente se espalhará por lá. Daí você já sabe.

Pessoas são pessoas, até mesmo no espaço!

Leia as iluminadoras e perspicazes colunas anteriores do astronauta Leroy Chiao, parte da nossa celebração da vida humana no espaço, “Tire-me Deste Rochedo”.