Não quer ouvir um artista em listas de reprodução ou rádios do Spotify? Em breve, você poderá bloquear os músicos que quiser na plataforma.

Facebook deu acesso a mensagens privadas de usuários para Spotify e Netflix

O Spotify parece estar testando um recurso no iOS que permite que seus usuários silenciem artistas de serem tocados, segundo informou o blog de tecnologia Thurrott, na segunda-feira (21), dando ainda mais controle aos ouvintes sobre que tipos de música eles veem na plataforma. O recurso não está disponível no desktop e pode ainda não estar disponível para todos os usuários no iOS. De acordo com o Thurrott:

O novo recurso não parece estar disponível em outras plataformas, incluindo o Spotify no desktop e na web. Se você estiver no iOS, no entanto, você provavelmente receberá o recurso em breve, já que a empresa parece tê-lo testado por alguns meses com um grupo menor de usuários e só começou a lançar para um grupo maior na semana passada.

Para acessá-lo no iOS, navegue até a página de um artista e clique no botão “Mais” no canto superior direito. Você deve ver “Não toque/reproduza esse artista” aparecer como a segunda opção em uma lista de comandos; clique nela, e está feito! Seus ouvidos não terão mais que aturar algo que você ache ofensivo ou ruim. Esta captura de tela mostra como fica a página do artista após você bloqueá-lo:

Captura de tela: Gizmodo

Os artistas ainda estarão nas listas de reprodução, mas, pelo que pude notar ao testar essa funcionalidade pessoalmente, o artista não vai tocar mesmo que você clique manualmente em uma música dele. Porém, como apontou o Thurrott, a função não irá silenciar as participações do artista, o que significa que ainda há uma chance de você ouvi-lo na faixa de outro músico.

Essa opção vem sendo pedida pelos ouvintes do Spotify há algum tempo. Mais recentemente, campanhas como #MuteRKelly (“#SilencieRKelly”) pediram ao Spotify e a outros serviços de streaming para tirar as músicas do artista de suas plataformas em resposta à série documental Surviving R. Kelly, da Lifetime, que revelou anos de supostos abusos do artista. No ano passado, enquanto o músico enfrentava alegações crescentes de abuso sexual, o Spotify anunciou que não iria mais “promover ativamente” sua música por meio de “recomendações algorítmicas como as Descobertas da Semana” (sua música ainda está disponível na plataforma).

O estranho é que, como o Thurrott também observou, a equipe de suporte do Spotify disse no domingo (20) mesmo a um usuário do Twitter perguntando sobre tal característica que bloquear “não é possível agora”, mesmo que definitivamente pareça ser possível. Na resposta da empresa ao indivíduo no Twitter, a conta de suporte colocou o link de um post de blog de 2017 no qual a empresa dizia que havia decidido não oferecer a função de bloquear, esconder ou colocar artistas em uma lista negra no momento.

O Spotify não retornou vários pedidos de comentários sobre o recurso, mas vamos atualizar se tivermos uma resposta.

[Thurrott via The Verge]