“Mac não pega vírus”: você já deve ter escutado — ou até mesmo dito — essa frase tentando levar alguém para o time do Steve Jobs, mas talvez seja melhor não usá-la mais. De acordo com uma análise da GFI, o sistema operacional da Apple foi a plataforma mais vulnerável de 2014, seguido do iOS, a plataforma mobile da maçã.

OS-chart

Com dados da National Vulnerability Database (NVD), uma base de dados do governo americano sobre vulnerabilidades sistêmicas, a GFI analisou o quais os sistemas e softwares mais vulneráveis de 2014 e chegou às seguintes conclusões: uma média de 19 falhas de segurança foram reportadas por dia no ano passado, adicionando 7.038 novos riscos de segurança ao NVD. Destes, 80% são de softwares de terceiros, 13% dos próprios sistemas operacionais e 4% de hardware. É quase o dobro dos 4.794 registrados em 2013, mas se torna um número mais compreensível quando levamos em consideração as grandes falhas de segurança de 2014, como o Heartbleed.

>>>Como funciona o Heartbleed: o código por trás da assustadora falha de segurança na internet

O sistema campeão, o Mac OS X contabilizou 147 falhas, sendo 64 delas de alto risco. O iOS não ficou muito atrás, com 127, sendo 32 de alto risco. Já os Windows 7 e 8, da Microsoft, foram algumas das plataformas menos desprotegidas, com apenas 36 vulnerabilidades reportadas em ambos sistemas em 2014.

A pesquisa ainda analisou os softwares que mais correram risco em 2014 e aí o jogo se inverte, já que o primeiro lugar não é muita surpresa: o Internet Explorer, da Microsoft, com 242 vulnerabilidades, sendo 220 (!) de alto risco. Seguido do Google Chrome e do Mozilla Firefox, com 124 e 117 falhas de segurança registradas, respectivamente. Outros softwares da Mozilla, como o Thunderbird, uma série de programas da Adobe — Air, Reader e Acrobat — e até mesmo o Apple TV também aparecem na lista de aplicações mais vulneráveis do ano. [The Hacker News via GFI]