É bem provável que o seu celular atual seja um telão de vidro, o formato padrão que se instalou na indústria desde 2007. Mas antes disso, o “flip”, ou “clamshell”, era o suprassumo do design, o sinônimo de tecnologia — lembram do RAZR original, da Motorola? Não há espaço para aparelhos assim rodando sistemas modernos, certo? A Samsung discorda.

No Japão os celulares flip ainda são populares, mas mesmo lá eles são vistos com estranheza por quem é de fora — os “celulares Galápagos”. É de se estranhar, pois, especialmente devido ao sucesso que o formato “candybar” (barra, como o iPhone e o Galaxy S) fazem, que alguma fabricante com forte presença no ocidente aposte nele.



De qualquer forma, o que é mais um smartphone para a Samsung, né? No rastro da sucessão de Galaxies que a fabricante sul coreana coloca no mercado, um flip com Android não faria tanto estrago caso encalhasse nas prateleiras. Dois? Por que não?

Recentemente surgiram diversas informações e imagens de dois modelos assim, flip e com Android, da Samsung: o Galaxy Folder e o Hennessy. Eles contam com duas telas, uma externa e oura interna, com as mesmas características — 3,7 polegadas e 800×480 no primeiro; 3,27 polegadas e 320×480 no segundo. O Galaxy Folder vem com um SoC Snapdragon 400 dual-core, 2 GB de RAM e suporte a LTE. Já o Hennessy conta com uma CPU quad-core de 1,2 GHz, câmera de 5 megapixels e opção de cor “dourado luxuoso”.

Se os rumores estiverem corretos, e no caso do Folder, que já teve até o manual vazado, parecem estar, é bem provável que esses modelos fiquem restritos à China e outros países asiáticos. Afinal, não seria o primeiro — recentemente a própria Samsung lançou o caríssimo SCH-W999 na China, com Jackie Chan de garoto-propaganda, por ~US$ 3 mil. No ocidente? Somos bem céticos quanto a isso, mas nunca se sabe… [Sammy Hub via Engadget]