No ano passado, a Withings impressionou na CES com um smartwatch híbrido que também podia realizar eletrocardiograma no usuário. Isso em si não era um recurso pequeno, considerando que a Apple tinha lançado a funcionalidade no Apple Watch Series 4 alguns meses antes. Neste ano, a companhia volta a apostar em recursos médicos com um smartwatch híbrido chamado ScanWatch, que inclui eletrocardiograma e um monitor de apneia obstrutiva do sono.

O ScanWatch supostamente rastreia a apneia do sono por meio de sensores SpO2 (que medem a saturação de oxigênio no sangue). Isso faz sentido e não é nada novo no mundo dos vestíveis. As pulseiras Fitbit incluem sensores SpO2 desde o modelo Ionic de 2017. A Garmin tem também em seus smartwatches como uma forma de medir como seu corpo de recuperou de exercícios extenuantes. A Fitbit tem sugerido que o monitoramento de apneia é uma área de interesse há anos, mas ainda não criou novos recursos com os sensores SpO2.

É justamente isso que torna o ScanWatch interessante — não apenas alegando ajudar a detectar a apneia do sono nos usuários, mas também por tentar conseguir liberação da FDA (órgão análogo à Anvisa dos EUA) para uso da funcionalidade.

Obter a autorização da FDA é algo grande — certamente, deu credibilidade à capacidade do Apple Watch Series 4 de ler ecocardiograma (no Brasil, aparentemente a Apple está tentando conseguir a liberação da Anvisa). Mas também é uma aposta. A menos que você seja a Apple, fazer com que a FDA libere um produto pode levar meses — exatamente o que aconteceu com o Withings Move ECG no ano passado. Apesar de ter sido anunciado em janeiro de 2019, o relógio ficou preso na burocracia da regulamentação.

Captura de tela do app do Withings ScanWatchApp da Withings mostrará quantidade de episódios apnéicos durante o sono

Finalmente, ele foi disponibilizado em setembro na Europa e, até o momento em que este texto foi escrito, ainda não estava disponível nos EUA. Embora seja admirável que a Withings esteja atenta às suas novas armas presentes no ScanWatch, há uma chance real de que demore meses para vermos ele no varejo. Talvez até anos.

Dito isso, o recurso de eletrocardiograma da Withings é bem bom — mesmo em um smartwatch híbrido. Tive a chance de testar um produto há alguns meses, e os resultados eram bem parecidos com o Apple Watch Series 4. É um bom sinal para o ScanWatch, que parece o modelo Move ECG, só que com sensores SpO2.

Outra adição bem-vinda ao ScanWatch é a pequena tela PMOLED. Um problema que eu tive com o ECG Move foi que não pude fazer muito com ele em meu pulso. Na tela, só conseguia ver a hora e a porcentagem da minha meta diária de passos. Para qualquer outra coisa, só mexendo no próprio telefone.

No ScanWatch, você poderá visualizar passos, pontuação de sono, calorias, distância e batimento cardíaco. Você também poderá ver notificações do smartphone. A coroa digital permitirá que os usuários gravem as medidas de eletrocardiograma e SpO2, início de atividade física e configuração de alarmes.

Withings ScanWatch em três modelos

Com tudo isso em mente, é difícil dizer com precisão, sem testar o aparelho, se o ScanWatch será bom no monitoramento de sono. Testei outros relógios inteligentes e produtos para dormir da Withings e o resultados eram bem mais ou menos. A companhia diz que trabalhou com cardiologistas e especialistas de sono no desenvolvimento do ScanWatch — o que é um bom sinal — mas a precisão geral do rastreamento de sono por pulso não é tão boa quanto todos gostaríamos.

No momento, a Withings projeta que o ScanWatch estará disponível no segundo trimestre do ano na América do Norte e na Europa — embora se o histórico for um indicador, o prazo pode ser maior. Ele será disponibilizado em dois tamanhos: 38 mm e 42 mm, custando US$ 250 e US$ 300, respectivamente.