Você já deve ter tentado melhorar o som do seu celular fazendo uma concha com a mão ou colocando o aparelho em um copo de plástico sem fundo. Os criadores dessa caixinha de som, batizada de Sodapop, levaram a ideia para outro nível: eles prometem que a qualidade do som melhora se você encaixar uma garrafa de refrigerante vazia – o que aumentaria o volume em quase 10 decibéis.

• Inteligência artificial do Facebook consegue transformar música clássica em jazz
• Por que algumas pessoas se irritam muito com sons que os outros fazem ao mastigar



Esse tipo de caixinha não é capaz de competir com um sistema estéreo grandão, daqueles que se tem em casa. Mas é uma solução bacana para quando você está na praia ou naquele churrasco de família, principalmente por se conectar com o seu smartphone via bluetooth. O problema desses alto-falantes portáteis é que eles não são tão potentes.

Equilibrar portabilidade e qualidade de som é o desafio. O Sodapop promete o melhor dos dois mundos: um alto-falante portátil que tem apenas 15 centímetros de comprimento e que soa muito melhor quando conectado a uma garrafa de refrigerante vazia.

A garrafa aparentemente triplica o volume interno do Sodapop, permitindo mover mais ar e aumentar os sons das frequências de baixo em até 10 decibéis. A garrafa de plástico flexível também funciona como uma membrana, empurrando o ar de volta através dos alto-falantes, supostamente adicionando mais “entusiasmo” ao som.

O Sodapop poderia funcionar como o prometido? Basicamente, ele usa da mesma ciência acústica do copo de plástico que funciona como amplificador para os nossos celulares. Mas não espere colocar uma garrafa pet e obter um som incrível. Existe um motivo pelo qual alto-falantes de alta qualidade não utilizam plástico reciclado. A real é que o som ainda não vai ser dos melhores, mas o truque espertinho do Sodapop é um ponto positivo para uma caixa de som do seu tamanho.

O Sodapop depende de uma campanha de financiamento coletivo, mas já superou o objetivo de US$ 24 mil. A expectativa é que quem colaborou com o projeto receba o produto em outubro, mas assim como todos os produtos de crowdfunding, não existe nenhuma garantia de que as pessoas o receberão no prazo. A versão mais barata do dispositivo custa aproximadamente US$ 59 (R$ 250, na cotação atual).