A Sony foi uma das primeiras empresas a apostar forte no mundo dos e-readers. Mas após enfrentar forte concorrência de empresas como a Amazon, ela resolveu se despedir desse mercado.

A Sony explica à BBC: “não temos planos para desenvolver um novo modelo Reader neste momento”. A empresa explica ao site alemão Lesen que o dispositivo PRS-T3, lançado em outubro, será seu último leitor de e-books.



Este ano, a Sony até desistiu de vender livros digitais: os usuários agora são encaminhados para a loja da rival Kobo.

É um fim triste para uma empresa que apostava em inovações (nem sempre bem-sucedidas) nos leitores de e-book. Por exemplo, a Sony tinha um e-reader com touchscreen e tela iluminada em 2008, anos antes do Kindle Paperwhite e semelhantes.

amazon kindle sony 2O que aconteceu? A Amazon, é claro. A empresa domina o mundo da leitura digital em muitos países. Nos EUA, até a Barnes & Noble – cujo e-reader Nook parecia ser a melhor chance de a empresa sobreviver – vem enfrentando problemas.

Mas a culpa não é apenas da concorrência. Ano após ano, a Sony lançou e-readers que não se equipararam à concorrência – com tela muito reflexiva, ou falta de recursos de software – e quando acertava, cobrava demais por isso. Assim não dá para ganhar.

A Sony não desistirá completamente do mercado de e-paper, no entanto. Lembra-se do Digital Paper DPT-S1, uma tela e-ink de US$ 1.100 que imita papel? Ela é voltada para empresas, e a Sony diz ao Lesen que o dispositivo continuará a ser produzido e vendido – e deve até aparecer na feira IFA em setembro.

Após um ano de prejuízo, a Sony está se reestruturando, concentrada agora nos ramos de fotografia, jogos e mobile. Por isso, os PCs não têm mais espaço na empresa – e nem os leitores de e-book.

A Sony também desistiu do PlayStation Mobile, plataforma de jogos para dispositivos Android certificados e para o PS Vita. Em dispositivos rodando KitKat 4.4.3 ou superior, os jogos podem não funcionar corretamente. O foco da empresa, agora, será a plataforma Vita TV. [Lesen via BBC via John Paczkowski]

Foto por Kim Bach/Flickr