O Spotify já é uma “bagunça” feita de música e podcasts… Mas, em breve, a plataforma também vai incluir audiolivros à pilha de conteúdo que clama por seus ouvidos toda vez que você abre o aplicativo.

O serviço de streaming de música anunciou que está adquirindo a Findaway, empresa de audiolivros. Os planos são incluir o formato em 2022. O negócio supostamente vai além da simples distribuição de audiolivros, e também pode incluir serviços de criação desse tipo de conteúdo.

Esquema “Anchor”

O modelo lembra muito a plataforma de podcast do Spotify, o Anchor, que permite gravar, editar e publicar episódios de podcast rapidamente. O Spotify irá aproximar autores de livros com narradores em potencial, para criar efetivamente sua própria versão do Audible, da Amazon.

“Com esta aquisição, seremos capazes de acelerar a adição de um catálogo de audiolivros à plataforma, para que os usuários possam efetivamente obter todo o conteúdo de áudio que desejam”, disse Nir Zicherman, chefe de audiolivros do Spotify.

A empresa planeja vender audiolivros individuais para usuários, gratuitos e pagos, e permitir que autores e editoras usem outra plataforma de processamento de pagamento e mantenham as vendas.

Aqueles que optarem pela plataforma de pagamento do Spotify terão que dividir a receita — embora isso possa ajudar os autores independentes a distribuir seus trabalhos mais rapidamente.

Rivais

O Spotify também planeja trabalhar na descoberta de audiolivros, semelhantemente ao seu trabalho na descoberta de músicas, listas de reprodução e podcasts.

Assine a newsletter do Gizmodo

Mas isso pode se tornar irritante, ainda mais se você já estiver profundamente integrado em outra plataforma de audiolivros. Por exemplo, para quem já está acostumado com o Google Play Store e seus audiolivros, que se integram perfeitamente com os visores inteligentes do Google Assistant, pode ser ruim ser bombardeado pelo mesmo tipo de conteúdo.

O Audible da Amazon é o rival, claro, e adicionar uma biblioteca de audiolivros à sua plataforma ajuda a posicionar o Spotify como sua loja de áudio completa. De acordo com o site The Verge, o Spotify pode até mesmo se aventurar no território de assinaturas como parte de suas ofertas premium.