Os restos do SM UC-61, um submarino alemão que depositava minas durante a Primeira Guerra Mundial, estão ressurgindo na costa de Wissant, perto da cidade de Calais, na França, informou a BBC neste sábado (12), mais de um século depois de ser abandonado e afundado por sua tripulação de 26 marinheiros em 1917, que depois se entregaram aos franceses.



De acordo com a BBC, a embarcação foi em grande parte enterrada na areia na década de 1930, embora ela tenha o costume de fazer uma aparição de anos em anos por um breve período de tempo:

Desde dezembro, duas seções do submarino estão visíveis na maré baixa, a cerca de 100 metros das dunas.

“Os destroços são visíveis brevemente a cada dois ou três anos, dependendo das marés e do vento que leva a movimentos de areia, mas (basta) uma boa rajada de vento, e os destroços desaparecerão novamente”, disse o prefeito de Wissant, Bernard Bracq.

Um guia turístico local, Vincent Schmitt, disse à BBC que os destroços estão geralmente, “na sua maioria, assoreados e, portanto, invisíveis”, mas essa é a primeira vez que ele se lembra de uma parte tão grande deles chegar ao topo.

O submarino havia partido do porto de Zeebrugge, na Bélgica, e conheceu seu fim ao tentar instalar minas perto de Boulogne-sur-Mer e Le Havre, segundo a BBC. De acordo com o uboat.net, o UC-61 efetuou cinco patrulhas, afundando 12 navios (um deles um navio de guerra) e danificando outros três (um dos quais era também um navio de guerra):

Encalhou em nevoeiro pesado perto de Wissant (entre Calais e Griz Nez), a 50°54′ Norte, 1°40′ Leste. Explodido em dois pela tripulação para impedir a utilização pelos Aliados. 26 sobreviventes (sem vítimas).

Em abril de 2018, equipes de busca descobriram um submarino alemão da Segunda Guerra Mundial — que, segundo rumores, levou oficiais de alto escalão do Partido Nazista para a América do Sul após o fim do Terceiro Reich, o avançado modelo U-3523 do Tipo XXI — a 123 metros de profundidade, ao longo da costa dinamarquesa.

Embora tenham persistido rumores (bastante infundados) de que a embarcação carregava um depósito de ouro ou os corpos de nazistas desaparecidos, ela é uma sepultura de guerra protegida, e seria difícil de estudá-lo mesmo com veículos operados remotamente, o que significa que quaisquer segredos que ele carregava provavelmente foram com ele para sua sepultura aquática. Em 2017, equipes de busca encontraram um submarino australiano afundado na Primeira Guerra Mundial, cujo naufrágio permanece um mistério, e um outro submarino nazista que afundou em 1942.

[BBC]