Ano passado, foi lançado o tablet indiano Aakash pelo equivalente a R$110. Mas o preço baixíssimo significava também especificações aquém do ideal. Um ano depois, chega o Aakash 2: com Ice Cream Sandwich e especificações melhores, o novo tablet custa ainda menos.

O tablet custa R$85, mas será vendido pelo governo indiano a estudantes pela metade do preço. O governo espera distribuir o tablet para 220 milhões de estudantes nos próximos cinco anos.

O Aakash 2 possui tela capacitiva de 7 polegadas, processador Cortex-A8 de 1GHz, 512MB de memória, Wi-Fi, entrada para cartão microSD, porta microUSB e bateria que promete durar 3 horas de uso.

O hardware talvez pareça fraco. Só que o modelo original era ainda mais simples, e custava mais. Mesmo assim, no último ano a DataWind – empresa britânica que fabrica o tablet – mal conseguiu acompanhar a demanda do primeiro Aakash, tanto da Índia como de outros países.

E o novo Aakash 2 parece se sair bem em desempenho, considerando o preço. Ele é uma versão do UbiSlate 7Ci, também fabricado pela DataWind. E reviews apontam que, apesar da duração curta da bateria, o 7Ci oferece uma “interface fluida e reprodução de mídia sem engasgos”.

O UbiSlate 7Ci é vendido para consumidores e custa o equivalente a R$170. O Aakash 2, por sua vez, é vendido ao governo indiano por R$85. Com subsídio governamental, ele custa a metade (R$42) para os estudantes.

Lembrando que este é um tablet voltado para educação, ele parece valer a pena pelo preço. É necessário, contudo, treinar professores para incluir direito o tablet nas aulas, ou ele pode nem impactar o rendimento acadêmico dos alunos. Mas parece que a Índia fez sua parte: no último ano, 15.000 professores da Índia receberam cursos para usar o tablet nas aulas. [Aakash via EFE/G1 e Economic Times]

Imagem por TechCrunch