Se você acha que já passou por poucas e boas, é porque ainda não conhece Titan. Essa tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta) viveu três tragédias até ser resgatada pela equipe da Sea Turtle Recovery, que reabilita estes animais marinhos e os devolve ao mar. 

Para começar, Titan foi atingido pela hélice de um barco. Depois, teve parte de sua nadadeira dianteira mordida por um tubarão. Como se não bastasse, um segundo tubarão atacou a tartaruga novamente, mas pescadores de Nova Jersey, nos EUA, viram a situação e salvaram o réptil. 

A dupla encaminhou a tartaruga para a ONG, baseada no mesmo estado em que o animal foi encontrado. Titan foi, então, cuidado e devolvido ao oceano na última terça-feira (2), junto a outros sete animais. Seis deles eram tartarugas-de-kemp (Lepidochelys kempii), uma espécie considerada em risco de extinção.

A Sea Turtle Recovery recebe e reabilita tartarugas marinhas feridas e/ou doentes desde dezembro de 2016. Até o momento, 85 répteis já voltaram ao seu habitat natural graças a equipe. De toda forma, os profissionais reconhecem que Titan é um dos pacientes mais fortes que já passou pelo local.

Grande parte das tartarugas salvas pela organização é encontrada “atordoada pelo frio”, passando por algo similar a hipotermia para os humanos. Quando elas não conseguem migrar para áreas mais quentes no inverno, acabam sendo submetidas a baixas temperaturas, que interrompem o funcionamento de seus órgãos. 

Foi isso que aconteceu com as tartarugas Princess e Donashello, resgatadas pelo grupo. O segundo sofreu lesões pulmonares que o fizeram flutuar, impedindo-o de migrar para o sul antes que a água esfriasse demais. Outros, como Slater e Petunia, chegaram à ONG com ferimentos causados por barcos ou tubarões.