Museólogos abriram em Dallas, na semana passada, duas “cápsulas do tempo”. Eles não faziam ideia do conteúdo de cada uma delas e acabaram encontrando peças incrivelmente bem preservadas da história da Segunda Guerra Mundial – uma tecnologia de bombardeio que ajudou a combater os nazistas.

• Por dentro de uma fábrica de tecidos abandonada após o fim da União Soviética
• O capitão que desafiou ordens e impediu os EUA de começarem a 3ª Guerra Mundial

A Commemorative Air Force, organização que preserva a história militar em Dallas, adquiriu recentemente dois grandes tambores de metal do senhor Dale Burand, em Oklahoma City. Ninguém sabia ao certo o que havia dentro deles, mas suspeitavam que poderia ser algo valioso.

nodern-mira-bombaJohn “Lucky” Luckadoo, na esquerda em ambas as fotos, fez missões na Alemanha no avião B-17 que usava a mira Nodern.

E estavam certos. Os tambores continham duas miras de bombardeio Norden, uma tecnologia secreta que ajudou os EUA a vencer a Segunda Guerra Mundial.

Onde esses tambores estavam escondidos? O senhor Burand os utilizavas como bancada de trabalho em seu celeiro desde 1953.

nodern-mira-bomba-3

“Seu filho e alguns amigos estavam procurando algo para fazer uma jangada no final dos anos 50 e viram esses tambores” nos contou por e-mail Keegan Chetwynd, coordenador de educação da Commemorative Air Force.

“Quando foram esvaziá-los, descobriram que tinham as miras de bombardeio. Aparentemente, quando Dale foi ver o que os garotos estavam fazendo, acabou decidindo usar os tambores em seu próprio celeiro”.

“As reações quando os abrimos foram muito interessantes”, disse Chetwynd. “Tínhamos muitas pessoas assistindo a transmissão pelo Facebook e havia um entusiasmo em torno dos tambores. Eu não sabia muito bem o que esperar, mas fiquei em êxtase quando eu vi que eles eram miras de bombardeio, novas em suas caixas.”

As miras de bombardeio Norden não eram tão precisas quanto diziam, no entanto. Elas funcionavam como uma espécie de computador analógico que selecionava o momento de soltar a bomba baseado na altitude, vento, velocidade e direção do voo. A ideia por trás da tecnologia era conseguir uma precisão exata, mas análises pós-guerra descobriram que elas eram menos “automáticas” do que os militares esperavam.

nodern-mira-aviaoAvião B-17 utilizava a tecnologia da Norden durante a Segunda Guerra Mundial.

Era uma ferramenta desenvolvida sob o máximo sigilo, mas ainda incrivelmente primitiva em comparação com a tecnologia de bombardeio que estaria por vir.

Imagens: Commemorative Air Force.