Pesquisadores da Universidade Nacional de Singapura e da Universidade Yonsei, na Coreia do Sul, estão desenvolvendo um sistema para detectar câmeras escondidas.

Ele funciona por meio do sensor ToF (Time of Flight) de smartphones. Ao contrário de sensores de câmeras convencionais, a função principal dele é capturar profundidade, e não luz. Você pode ler mais sobre a ferramenta neste texto do Gizmodo.

O sistema criado pelos pesquisadores denominado LAPD (Laser-Assisted Photography Detection). Ele consegue detectar a localização das câmeras em um determinado local usando os lasers que o tal sensor emite.

Funciona assim: os lasers, originalmente, são emitidos pelo ToF para identificar profundidade de campo a auxiliar na geração de gráficos 3D em espaços de realidade aumentada.

Mas, em situações do dia a dia, é possível analisar o reflexo desses lasers nas lentes de câmeras escondidas. Tudo porque eles ficam mais intensos na presença câmeras de monitoramento. Então, basta medir a intensidade dos lasers que retornaram para acusar a presença da câmera no ambiente.

Para funcionarem no sistema de detecção de câmeras, encontrando a posição do equipamento, o sensor foi combinado pelos pesquisadores a um algoritmo de machine learning.

Assine a newsletter do Gizmodo

Nos testes realizados pelos cientistas foi possível identificar 88,9% dos dispositivos escondidos, enquanto a olho nu, apenas 46,6% das câmeras foram encontradas. A ideia é que o recurso esteja incorporado a um aplicativo que possa ser facilmente baixado em lojas de apps de smartphones. A precisão ainda não é tão grande, mas já é um bom início.

Em tempos em que a tecnologia acaba tirando parte da privacidade das pessoas, existe um mercado bem popular de aparelhos que detectam a existência de câmeras ocultas. Esses localizadores estão disponíveis no Brasil e podem ser encontrados em lojas online como Amazon e Americanas. Nos últimos anos, houve um aumento preocupante em denúncias de câmeras escondidas de algumas acomodações do Airbnb ao redor do mundo — o que pode ter contribuído para o aumento da procura dos detectores.