Você já tentou comprar apenas o suficiente, e entrar no movimento do bom o bastante. Mas nunca era. Ao mesmo tempo, sucumbir ao seu instinto de early adopter e comprar o último modelo de tudo, pode ser uma decisão arriscada (e definitivamente cara). Veja aqui como fazer isso sem virar um mendigo. 

 

Aviso

Antes de começarmos, é necessário dizer: se você seguir por este caminho, você vai perder dinheiro – e precisará ter um bocadinho pra começo de conversa. Não acredite em ninguém que te diga o contrário. Mas se você for esperto em relação ao timing, perfeccionista com o estado de conservação das suas coisas e diligente com a sua documentação, é possível se manter na crista da onda tecnológica sem cair direto em um poço de crise financeira. Os mais talentosos nesta prática podem até conseguir gastar muito pouco dinheiro, ainda que algum. 

Agora vamos seguir adiante com algumas dicas para seguir na sua nova missão: ter sempre os últimos eletrônicos sem ir à falência.

 

Aprenda sobre ciclos de vida e leis

A Lei de Moore, a Lei de Bell, a Lei de Kryder — sempre tem alguém declarando-as mortas, mas muitos destes princípios-guia do mundo da tecnologia são a principal razão por você estar sempre correndo atrás de algum lançamento. As mais relevantes também exercem uma influência tremenda sobre quando, como e por que as suas coisas evoluem. Se você pretende acompanhar essa evolução em intervalos regulares, seria bom familiarizar-se com todas elas. Ter ao menos um entendimento básico destas leis informais pode te dar uma resposta sobre por que o laptop que você comprou há dois anos parece incrivelmente velho e detonado hoje. 

Além disso, estas leis também moldam diversos roadmaps da indústria da tecnologia. Empresas como a AMD, a Intel e outras são bem transparentes quanto aos seus ciclos de atualização. Mas entender como esses planos acabam influenciando de fato o lançamento de novas versões dos gadgets pode dar trabalho. Para os devotos dos produtos da Apple, ferramentas como o MacTracker ajudam a isolar e observar padrões específicos de lançamentos de produtos e histórico de preços. Infelizmente, usuários de PC não contam como nada assim tão útil.

Ainda assim, você mesmo pode começar a acompanhar os anúncios de empresas e as datas de lançamento específicas voltando e lendo sites de gadgets e press releases das empresas. Quando você tiver dados referentes a um período de uns dois anos, coloque tudo em uma planilha e identifique padrões. O Macrumors já fez o trabalho pesado para os atualizadores da Apple, que são mais frequentes. Mas você também pode fazer os seus próprios alertas de calendários se estiver se sentindo ambicioso. Pode parecer exagero, mas estar à frente dos anúncios de novos produtos é importantíssimo se você quiser maximizar os seus ganhos em cima de equipamentos usados.

 

Tenha em mente também que o período do final de novembro até o início de janeiro é absolutamente a pior época para vender os seus usados. Além da preferência geral por comprar coisas novas nesta época, graças aos descontos de fim de ano e pós-natal, esta época é uma das que tem o maior número de anúncios de novos produtos. Espere até a metade de janeiro, no mínimo, para anunciar seus cacarecos. 

Guarde tudo

Resista ao hábito de jogar fora notas fiscais, caixas, cartões de garantia e demais pedaços aparentemente inúteis de papel ou papelão. Nada é mais interessante para um novo comprador do que receber o seu equipamento usado dentro da caixa, com todos os seus materiais originais. Isso também traz mais segurança em você enquanto vendedor. Além de poder cobrar um pouco mais por um aparelho assim, este hábito facilita a transferência de garantia e registro. Se você tem espaço livre em um armário ou garagem, comece agora mesmo a construir a sua montanha de caixas. Se faltar espaço, guarde apenas as caixas das coisas mais caras, e tente usá-las para algo útil, como guardar livros ou como mesinha de centro na sala ou criado-mudo.

As marcas importam

E muito. Assim como alguns carros desvalorizam muito mais lentamente que outros, isso também acontece com os gadgets. Se você vai trocar de equipamentos todo ano, é melhor se focar nas coisas que você poderá vender pelo melhor preço daqui a um ano. Para descobrir quais marcas melhor mantém o seu valor, fique de olho em leilões finalizados no MercadoLivre. O Tendências mostra as 50 buscas mais populares, assim como as lojas e produtos mais procurados, os maiores preços e itens mais observados pelos compradores em suas "watch lists". Goste você ou não, os produtos da Apple são alguns dos que menos depreciam, mas algumas outras marcas grande como Sony e HP também se saem bem. 

…mas as categorias também

Assim como as marcas, certas categorias de produtos são sempre mais fáceis de passar adiante. Não perca seu tempo com impressoras, HDTVs, HDs externos ou qualquer tipo de gadget que seja muito barato novo, muito pessoal ou muito chato de transportar. Laptops, desktops e smartphones, por outro lado, sempre têm demanda e são fáceis de desovar nas massas desavisadas. 

O dilema da configuração

Se você está lendo isso, é grande a chance de você ser o tipo de pessoa que está sempre querendo o melhor modelo de cada coisa que vai comprar. Isso pode ser um erro. Sempre pense no seu mercado-alvo quando estiver comprando um novo produto. Pode acontecer dos seus potenciais compradores no futuro não compartilharem da sua necessidade de ter o último e mais veloz processador Core i7 ou quantidades absurdas de memória. Aqui, vale a pena prestar atenção nos "earning calls" (espécie de relatórios públicos de vendas) que as empresas divulgam, para descobrir quais foram os itens mais populares em cada período, geralmente trimestral. Use esta informação a seu favor. Apesar de ser possível que certos modelos topo de linha sejam muito procurados, quem compra usado geralmente está procurando pelo melhor custo-benefício, mais do que os melhores recursos. 

Cuide do seu precioso

Isso é óbvio, mas um gadget ferido, amassado, riscado ou com qualquer tipo de falha terá o seu preço dramaticamente reduzido. Quando comprar seus aparelhos novos, invista em cases, capas ou quaisquer itens de proteção que você considere que podem ajudar. Não precisa de nada cheio de frescura, caro ou estiloso; apenas o suficiente para manter o seu gadget protegido. E quando chegar a hora de vender, você pode oferecer estas capas junto, mostrando como elas ajudaram a manter tudo protegido e bonitinho por todo esse tempo, ou, se elas servirem no modelo novo, pode continuar a usá-las. 

Garantias

Permanecer atualizado significa que você vai ter que devolver os seus gadgets ao mercado dentro de um ano ou menos. Logo, você deveria sempre investir em garantias que estejam em vigência quando você for vender, especialmente se você for negociar online, de modo que o comprador não possa testar e inspecionar o item. Comprador tranquilo = dinheiro no bolso.

Preserve suas baterias

A aparência cosmética é importante. Mas uma correta manutenção interna deve estar também muito perto do topo da sua lista de prioridades. Já que a maior parte dos seus gadgets móveis tiram sua energia das temperamentais baterias de lítio-íon, faça o possível para mantê-las felizes e saudáveis. Programas como o Cononut Battery (para Macs) ajudam a ficar de olho nos ciclos de carregamento e na temperatura interna. A maioria das empresas também dão dicas e estratégias para conservar melhor a sua bateria. Sigaas.

O momento é tudo

Depois de descobrir o que você pode vender, a próxima questão é quando. E a resposta é esta: logo antes do anúncio da nova geração do equipamento em questão. Isso faz toda a diferença. Vender na hora certa pode significar até 10 ou 20% mais verdinhas no seu bolso. Não deixe de ler notícias sobre tecnologia para saber quando o anúncio de um novo produto está se aproximando. Nós recomendamos o Gizmodo Brasil, mas dizem que existem outros. De qualquer forma, lembre-se: ficar desinformado pode ser mortal. Meros rumores podem fazer com que todos os atualizadores compulsivos saiam oferecendo seus gadgets todos ao mesmo tempo e saturando o mercado de revendas. 

A arte de fazer o seu preço

Essa parte é definitivamente mais arte do que ciência. Mas quem a domina, fica menos no vermelho do que os outros. Algumas vezes, nem fica. Já viu alguns anúncios online oferendo gadgets pelo triplo do preço? Bem, não faça isso. Mas às vezes pode ser bom começar com um preço mais alto — particularmente se você está vendendo algo de alto padrão ou difícil de achar. Mesmo no mercado de segunda mão, as pessoas tendem a relacionar preço alto com qualidade. Pode valer a pena fazer esse tipo de aposta. Se o momento, o produto e as condições forem ideais, você às vezes consegue vender a preço de varejo, ou quase. E aí, meu amigo, você simplesmente alugou um gadget por um ano, pagando uma pequena fração do seu preço.

Aperfeiçoe as suas habilidades de vendedor

O seu gadget está em perfeito estado, tudo está nos conformes e chegou a hora de escrever o seu anúncio. Se você é engraçado, seja. Se não, apenas seja claro e direto. "Tenho aqui esse troço, é usado, quero tanto" não rola. Quando você receber perguntas ou propostas, tente não parecer afobado, desesperado ou muito fechado. Mas também não seja escuso ou vago. Faça um pouco de esforço para listar as características mais marcantes do seu gadget e tire boas fotografias. Repito: tire boas fotografias, ou arrume alguém que as tire para você. Também é uma boa ideia usar uma ou duas fotos no anúncio e colocar um link para uma galera no Flickr com outras. As pessoas gostam de ver esse tipo de esforço. Ah, e não demore demais para responder as perguntas. 

Não vá tão longe

Sim, o MercadoLivre com Mercadopago são convenientes, mas se você realmente se preocupa em tirar o maior valor possível das suas coisas, não há nada melhor do que uma boa negociação cara a cara. Não é para você ficar na rua. Anuncie no Twitter para os seus amigos. Peça RT. Entre em fóruns de entusiastas daquilo que você quer vender. Tudo isso ajuda muito a se livrar de alguns dos maiores inconvenientes das vendas online, evita gastos com frete e complicações relacionadas. Apenas tenha cuidado na hora do pagamento. Se você está vendendo no mundo real, exija dinheiro na mão.