Eu já fiz críticas ao estado dos planos de dados no Brasil mais de uma vez: preços altos, pouca cobertura 3G, limites de velocidade e de dados… E a situação acabou de piorar: a TIM acabou com os planos de dados ilimitados no modem 3G – agora você paga pelo número de horas usadas. A TIM se explica, mas eu já ouvi esses argumentos antes.

A TIM acabou com os planos de dados ilimitados para modem 3G; por enquanto, os planos ilimitados para smartphones seguem inalterados – mas parece ser questão de tempo até que eles sejam extintos também. Se você usa um plano ilimitado da TIM, não se preocupe: ele continuará sendo ilimitado – mas não será mais vendido. Afinal, por que acabar com os planos de dados ilimitados? Porque as pessoas não usavam dados o bastante, segundo a TIM. Do IDG:

“A nova estratégia foi tomada após pesquisas internas apontarem que a maioria dos nossos clientes de planos ilimitados utilizavam o serviço por um número limitado de horas e pagavam o mesmo preço que aqueles que faziam uso intensivo em tempo e volume de dados”, afirma Rogerio Takayanagi, diretor de Marketing da TIM.

Essa é a mesma justificativa que a AT&T, operadora americana que vende o iPhone com exclusividade (além de outros smartphones), deu para explicar porque ela seria a primeira grande operadora nos EUA a não oferecer mais planos ilimitados. Como 98% dos clientes usavam menos que 2GB por mês, eles acharam melhor oferecer um plano mensal máximo de 2GB e acabar com o plano ilimitado – os outros 2% da clientela devem ter ficado inconformados.

Os novos planos da AT&T valem para smartphones, enquanto os novos planos da TIM são para modem 3G. Mas o problema de sair de um plano ilimitado é o mesmo: não existe mais a segurança de que você vai pagar exatamente o mesmo valor todo mês, não importando quanto você navegue. Se você mudar seus hábitos de navegação, pode acabar pagando caro por isso.

Novos planos

São quatro planos: 20h, 60h, 90h e 120h mensais. Há duas opções de planos: o TIM Web com o minimodem incluso no preço e fidelização de 12 meses; e o TIM Web Chip Avulso, sem o modem 3G e sem fidelização, e os preços seguem acima. Os novos planos são baseados em horas navegadas, e não em dados consumidos, lembrando os nada saudosos tempos da internet discada. 

Os pacotes de 60, 90 e 120 horas estarão disponíveis apenas nos municípios com cobertura 3G, e terão velocidade máxima de 3,6Mbps – a TIM, no entanto, promete velocidades médias de 850Kbps a 1,1 Mbps. Isso até chegar na cota mensal de 1GB: se você consumir mais que isso, a velocidade pode cair para 128Kbps até o próximo faturamento.

A ideia de tarifar o consumo por horas navegadas é algo que não consigo entender. Eu conseguia entender a ideia dez anos atrás, mas hoje não me preocupo em quanto tempo eu fico online. Sim, o brasileiro navega em média 69 horas ao mês segundo a Ibope/NetRatings, então os planos da TIM teoricamente supririam a necessidade de muitos, e há várias formas de acompanhar o consumo mensal – por exemplo, a TIM envia um SMS quanto você chegar a 50% e a 100% da cota. Mas com isto a TIM afirma, mesmo que implicitamente, que seu modem 3G não deve ser usado como forma principal de acessar a internet – é apenas um complemento, por exemplo para quando você sair de casa com seu laptop. Não é para heavy users, como você e eu.

Se você ultrapassar o número de horas contratado no mês, paga cinco centavos por minuto extra, o que não é uma boa solução. Por que não fazer como a AT&T? Se você consumir mais de 2GB, por exemplo, eles adicionam mais 1GB na sua cota por US$10. A TIM poderia adicionar mais 10 horas à cota mensal, por exemplo.

Enfim, não gostei da novidade. Pelo menos a Vivo agora tem planos que não cobram tarifa excedente. Mais detalhes no site da TIM. [TIM via IDG Now]