Ser CEO de uma grande empresa é, obviamente, uma profissão de sucesso. E Tim Cook, CEO da Apple que o diga. Em 2021, ele recebeu US$ 98,73 milhões na forma de salário, incentivos e ações. O valor foi 1.447 vezes maior que o de um funcionário médio da empresa. Com isso, o empresário teve um aumento de 550% em sua fortuna em relação a 2020.

As informações foram revelados em um documento nesta quinta-feira (6), pela Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC).

Grande parte da compensação do CEO para o ano passado foi recebida em forma de ações, que devem começar a ser adquiridas no ano que vem. A renda de Cook consistiu em US$ 82,35 milhões em ações que lhe foram concedidas pela Apple. O executivo também recebeu US$ 12 milhões por superar as metas financeiras internas da empresa.

Nos últimos dois anos, a fabricante do iPhone se beneficiou da forte demanda por seus produtos e serviços enquanto as pessoas seguiam de quarentena e automaticamente aumentavam o consumo dos gadgets da maçã.

Assine a newsletter do Gizmodo

A receita da Apple cresceu mais de 30%, a 365,8 bilhões de dólares no ano fiscal de 2021, impulsionando as ações e superando brevemente 3 trilhões de dólares em valor de mercado este ano.

O salário base anual de Cook, não mudou em relação aos anos anteriores e continua na casa dos e US$ 3 milhões. Entretanto, as altas da empresa fizeram essa renda aumentar. Vale lembrar que recentemente a Apple se tornou a primeira empresa norte-americana a ser avaliada em US$ 3 trilhões.