O Google Play Música parece estar com os dias contados e deve ser encerrado ainda em 2020. Pelo menos você poderá transferir sua biblioteca para o YouTube Music, seu substituto. O recurso começou a ser liberado hoje e inclui também as faixas que você fez upload para o serviço do Google.

A ferramenta será disponibilizada aos poucos para os usuários. Será possível transferir músicas que você comprou ou fez upload, playlists, estações de rádio, álbuns e músicas da sua biblioteca. Músicas que você curtiu ou não curtiu com os botões de polegar para cima ou para baixo também serão usadas para dar recomendações mais adequadas ao seu gosto musical. A transferência inclui também dados de cobrança do Google Play Música, caso você seja assinante do serviço.

Para ver se o recurso já está disponível para você, acesse music.youtube.com/transfer ou abra o app do YouTube Music e veja se ele oferece esta opção na primeira página. Por aqui, não rolou — aparece a mensagem “Você poderá transferir em breve. Você receberá uma notificação quando chegar a hora de transferir sua conta do Google Play Música. Agradecemos a paciência.”

Já faz um tempo que o Google ensaia trocar o Google Play Música, seu serviço de streaming musical, pelo YouTube Music, que é mais integrado à plataforma de vídeos e oferece também acesso a clipes e apresentações musicais. No Android 10, o tocador de música padrão, por exemplo, é o YouTube Music e não mais o Google Play Música, como acontecia nas versões anteriores.

Por outro lado, o plano gratuito é mais limitado. Assim como acontece com o YouTube, a música para caso você bloqueie a tela ou saia do app. O YouTube Music Premium custa R$ 16,90 por mês.

Aos poucos, o Google está colocando recursos do Play Música no YouTube Music para ir preparando os usuários para a migração. O app ganhou letras de música e a possibilidade de fazer upload de músicas.

O upload de músicas, aliás, é um recurso interessante (e um tanto desconhecido) dos dois apps. Basta escolher as faixas que você tem salvas no computador e, em alguns minutos (ou horas, dependendo da sua biblioteca), tudo está na nuvem, acessível a partir de qualquer dispositivo, e você nem precisa ser assinante do YouTube Music para ouvir. Isso pode ser bacana se você tem uma coleção de mp3 pegando poeira no seu HD ou se o seu disco favorito não está nos serviços de streaming.

[The Verge]