Trata-se de uma técnica moderna que já vem sendo utilizada há anos pelas grandes produções hollywoodianas. Mas agora um estudante de ciência da computação de Harvard desenvolveu um software que faz substituições faciais sem a necessidade de um especialista em efeitos especiais, o que reduz seu custo.

Usando as imagens de uma única câmera e uma simples configuração de iluminação, o software de transplante de Kevin Dale começa criando um modelo 3D da face do doador e do beneficiário. Dependendo da gravação, o software é capaz de fazer isso automaticamente, mas ele pode ser ajustado manualmente com a adição de criadores de face em sua interface. Assim que o modelo é criado, o programa automaticamente modifica a cara do doador para ficar na forma e na posição do beneficiário, fazendo questão de deixar as nuances da face o mais suave possível.

Em um computador comum o software pode renderizar um vídeo de 10 segundos em 20 minutos, mas provavelmente esse tempo aumenta se a cena tiver muitos movimentos ou alta resolução. Apesar de provavelmente não substituir as ferramentas de alto nível usadas pelos artistas dos efeitos especiais de Hollywood, se isso se transformar em um plug-in do YouTube podemo ter um novo mundo de pirataria, envolvendo a mudança de rostos de atores sem suas permissões. [Harvard via NewScientist]