Cirurgiões americanos conseguiram um feito histórico: realizaram um transplante de rim de porco para um ser humano. O órgão foi geneticamente modificado, mas não apresentou qualquer efeito adverso no corpo do paciente. Os médicos acreditam que o sucesso do procedimento possa abrir portas para aliviar a falta de órgãos humanos para doação. 

À Reuters, os médicos disseram que a receptora era uma paciente com morte cerebral e sinais de disfunção renal. A família da paciente consentiu com o experimento antes que fossem desligados os aparelhos.

O procedimento foi realizado no centro médico Langone Health, em Nova York, com genes alterados de um porco. A mudança a nível genético foi feita para garantir que seus tecidos não contivessem mais uma molécula conhecida por desencadear a rejeição quase imediata.

De acordo com a reportagem, o experimento envolveu um único transplante, e o rim foi deixado no local por apenas três dias. A pesquisa ainda não foi revisada por grupos de cientistas independentes, e também não foi publicada em uma revista científica.

Ainda assim, Robert Montgomery, médico que liderou o estudo, disse à publicação que esse ensaio deve abrir caminho para testes em pacientes com insuficiência renal em estágio terminal, daqui um ou dois anos. 

Assine a newsletter do Gizmodo

Pesquisas desse tipo podem testar a abordagem como uma solução de curto prazo para pacientes em estado crítico até que um rim humano esteja disponível, como explicou Montgomery. 

No Brasil, 50 mil pessoas aguardam um transplante, sendo 5.312 pacientes na fila de espera por uma doação de rim. 

[Reuters]