Mais de um ano após o início da operação brasileira do Facebook, chegou a vez de outra rede social abrir seu escritório no país: o Twitter inaugurou, nesta quarta-feira (5), seu escritório no Brasil, o terceiro fora dos Estados Unidos — os outros dois ficam no Japão e no Reino Unido.

A vinda do Twitter para cá é estratégica: o Brasil é um dos cinco maiores mercados da empresa em número de usuários ativos, segundo Shailesh Rao, vice-presidente internacional da companhia. Além disso, a América Latina é responsável por 16% da audiência total da rede social.

Para os usuários, a operação nacional do Twitter vai significar maior proximidade com o público: mais nove cidades passaram a ter trending topics personalizados. São sete capitais — São Luís, Recife, Belém, Goiânia, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre — e dois municípios paulistas — Guarulhos e Campinas. Elas se juntam às seis cidades que já tinham a lista de assuntos mais comentados.

E é mesmo importante que eles prestem atenção ao Brasil: segundo a comScore, a audiência do Twitter caiu 24% em um ano no país. Enquanto isso, o Facebook cresceu 64% por aqui.

Já para os anunciantes, a vinda para cá significa mais facilidade na hora de negociar anúncios nos trending topics e nas timelines — de acordo com a Folha, as empresas que já usam a ferramenta no Brasil, como Fiat, Motorola e Terra, tiveram que negociar com a equipe americana da rede. Segundo Guilherme Ribenboim, ex-executivo do Yahoo! e do ClickOn que comanda as operações do Twitter por aqui, o objetivo é ampliar o número de parcerias.

A vinda para o Brasil faz parte da busca de novos negócios para a rede social, que também inclui fechar a API para clientes de terceiros, como forma de garantir o uso dos apps e clientes oficiais e, consequentemente, garantir a visibilidade dos anúncios. Então, se você usa o Twitter, prepare-se: mais propagandas virão por aí. [Folha]