O Twitter agora detém uma patente do seu estilo único de comunicação e mensagens. Será que veremos mais guerra de patentes nas redes sociais? Provavelmente não.

A patente, emitida ontem, descreve um sistema em que os usuários seguem um ao outro, e as mensagens não têm destinatários específicos. É exatamente assim que o Twitter funciona!

Na verdade, a patente – que lista os fundadores do Twitter, Jack Dorsey e Biz Stone, como inventores – deixa bem claro o aspecto principal do Twitter: os remetentes não precisam saber onde vão parar suas mensagens.

No USPTO, isso é descrito em linguagem técnica:

O sistema permite comunicação ponto a multiponto independente de dispositivos. Os pontos finais de destino são independentes dos pontos de entrada originais, e o remetente da mensagem não precisa ter conhecimento dos pontos finais, nem dos endereços de usuário nos pontos finais.

Mas agora que o Twitter tem a patente em suas mãos – requerida em 2008! – não espere vê-lo perseguir outras redes sociais com funcionalidade semelhante, como App.net ou Identi.ca.

Na verdade, o Twitter prometeu publicamente que só vai usar patentes de forma defensiva, não para atacar concorrentes. Em um comunicado, o Twitter explica:

Assim como muitas empresas, nós requeremos patentes para um monte de nossas invenções. Nós também pensamos muito sobre como as patentes podem ser utilizadas no futuro, e é por isso que temos o Acordo de Patentes dos Inovadores, para manter o controle dessas patentes nas mãos de engenheiros e designers.

O Acordo de Patentes dos Inovadores foi apresentado há um ano, quando o Twitter conseguiu a patente do “puxe para atualizar”. Basicamente, o acordo define que as patentes só serão usadas de forma defensiva, e os inventores recebem licenciamento completo das patentes que criarem.

Neste mundo moderno de trolls de patentes, isto é algo muito bom de se ouvir. [USPTO via Verge]