O Twitter lançou na última quinta-feira (29) o recurso que permite que hosts gravem o áudio das sessões do Spaces e disponibilizem sob demanda para usuários que não puderam acompanhar ao vivo. A empresa havia anunciado em setembro que lançaria a funcionalidade “dentro de alguns meses”. Inicialmente, o recurso vai estar disponível apenas para alguns usuários que usam o sistema iOS.

Os primeiros usuários que poderão fazer gravações no Spaces serão os testadores beta originais do Spaces — ou seja, a galera que primeiro começou a usar o recurso, alguns meses atrás. Dentro de algumas semanas, de acordo com o Twitter, o recurso estará disponível para todos.

Para usar a ferramenta, basta criar uma sala, nomeá-la e escolher até três tags que façam referência ao assunto que será discutido ali. Depois, selecione a nova opção “Gravar Space”, e, depois, vá em “Iniciar Space”. Os participantes que entrarem em um Space que está sendo gravado verão a indicação “REC” na parte de cima da tela. Ao clicar para encerrar o Space, o host será questionado se deseja encerrar o Space e parar a gravação. Depois disso, a gravação ficará disponibilizada no Twitter.

Assine a newsletter do Gizmodo

As salas de áudio ao vivo ganharam muita popularidade durante um momento da pandemia em que o isolamento social estava mais intenso, o que fazia com que as pessoas aproveitassem qualquer oportunidade de interagirem entre umas com as outras.

O Clubhouse foi lançado nesse período e virou um fenômeno rapidamente. O sucesso da ferramenta inspirou o Twitter a correr com o lançamento do Spaces, e também outras empresas a investirem em aplicações e recursos para criação de salas de áudio ao vivo. Outros concorrentes, como o Live Audio Rooms, do Facebook, Fireside e Callin já permitem a execução das salas de áudio gravadas há algum tempo.