Com pouco mais de 30 anos de idade, a internet de hoje é algo completamente diferente do que em seus primórdios.

Hoje, a rede mundial de computadores atinge muito mais gente, está presente em praticamente tudo o que fazemos no dia a dia e está muito, muito mais veloz.

A consolidação da web revolucionou a maneira como as pessoas se comunicam. Basta estar conectado para conversar com pessoas em qualquer parte do planeta em tempo real.

Mas… E aquela parcela de usuários que um dia mandou uma carta pelo correio e curtia aquela expectativa e a espera, às vezes angustiante, de palavras de pessoas queridas?

Para estes, existe uma possibilidade de comunicação com uma pegada mais tradicional disponível na internet, o aplicativo Pony Messenger.

O responsável pelo app, Dmitry Minkovsky, pensou no desenvolvimento de um aplicativo que devolvesse ao mundo um pouco do sentimento de enviar cartas, completamente esquecido conforme a evolução dos nossos métodos de comunicação e, principalmente, com a internet.

Então, nos últimos três anos, Minkovsky se dedicou à criação de uma aplicação que funcionasse de forma semelhante a de uma caixa de correio tradicional.

Funciona assim: o aplicativo é como uma caixa de e-mail, mas que só envia uma vez por dia. Explicando melhor, o usuário pode escrever seus e-mails e deixá-los na caixa de saída.

Aí, uma vez ao dia os seus e-mails serão coletados e enviados ao destinatário, como se um carteiro pegasse suas correspondências na caixa de correio e as levasse até o destino.

A ideia é, no mínimo, diferente. Mas você se engana se acredita que o Pony Messenger é o único aplicativo de e-mails de entrega não instantânea existente.

O Google tem o Mail Goggles, alternativa ao Gmail e que tem a proposta de evitar que os usuários possam se arrepender ao enviar algum e-mail. Há também os apps Slowly e Minus, que seguem uma ideia parecida a do Pony.

A tendência é conhecida como “Slow Web”, conceito no qual pessoas tentam fugir das experiências superficiais proporcionadas por um mundo cada vez mais conectado e cada vez menos interessados em vivências mais profundas.

Inicialmente, o Pony funcionava de forma integrada com outros apps de e-mail, mas o criador do software voltou atrás e tornou o aplicativo um serviço independente, ou seja, apenas pessoas que usam o aplicativo podem se comunicar. Minkovsky, justificou que a medida se deu em razão de uma decisão pessoal de não tentar arrumar o que considera problemático nos e-mails.