Desastres naturais parecem estar mais constantes e potentes do que nunca. Uma aliança entre países e universidades da Ásia quer nos salvar deles. O plano é lançar uma frota de pequenos satélites para ajudar no monitoramento da destruição conforme ela acontece aqui na Terra, oferecendo resposta de emergência e informações críticas mais rápido do que nunca.

As universidades Hokkaido e Tohoku, no Japão, estão se juntando a um grupo de países asiáticos para o projeto dos microssatélites. Os parceiros incluem Bangladesh, Indonésia, Malásia, Mongólia, Myanmar, as Filipinas, Tailândia e Vietnã, de acordo com o Nikkei Asian Review. Cada nação vai enviar uma parte dos microssatélites para a Estação Espacial Internacional, de onde eles serão lançados em órbita a partir de Kibo, o módulo japonês a bordo da ISS.

Os satélites são pequenos cubos de 50cm que pesam cerca de 50kg. Isso é cerca de 5% do tamanho de um satélite convencional. Esses microssatélites vão ficar entre 300km e 500km acima da superfície da Terra, usando câmeras para fotografar o chão a uma resolução de cerca de 3 metros a 5 metros.

Os pesquisadores esperam ter cerca de 50 satélites em órbita até 2020. Não é pouca coisa, já que cada um custa cerca de US$ 2,5 milhões. Aparentemente, apenas 25 satélites cobrem a Ásia inteira, então se conseguirmos todos os 50 no espaço, a tecnologia pode ajudar uma parte bem grande do planeta.

microssatelites
Pesquisadores da Universidade Tohoku com um microssatélite. Crédito: Universidade Tohoku

[Nikkei Asian Review]

Imagem de topo: Shutterstock