Eu adoro máquinas de Rube Goldberg. Milhões de coisas empurrando e ativando umas às outras, geralmente a troco de quase nada além de um sorriso. Essa aqui, por exemplo, tem como primeiro e último passo uma fotografia.

O vídeo poderia ter sido mais impressionante se não tivesse cortes, mas depois ele meio que se redime mostrando tudo acontecendo de uma vez. Não é poético? Uma fotografia antiga causando todo um processo que culmina em uma DSLR moderna disparando? [Boing Boing]