Justo quando você pensou que poderia falar com autoridade sobre os padrões USB na próxima festinha, um novo padrão aparece e estraga tudo, de novo. O último padrão USB 3.2 será confirmado em setembro, e aqui está tudo o que ele significa para o seu laptop, celular e aqueles novos cabos USB-C que vieram com o seu novo celular e que você comprou.

• Novo USB 3.2 vai dobrar a velocidade dos cabos tipo C atuais
• Um firewall USB é essencial para os paranóicos em segurança digital

Uma história muito breve do USB

Imagem: Gizmodo

USB, ou Universal Serial Bus, é um padrão estabelecido que assegura que, se você comprar coisas com a tecnologia USB, tudo irá funcionar direitinho umas com as outras. Embora tenhamos que conviver com um pequeno inferno de adaptadores hoje em dia, não se compara nem um pouco com o começo dos anos 1990, quando os periféricos para computadores utilizavam todos os tipos de conectores estranhos e maravilhosos, e levava praticamente metade de uma manhã para instalar e configurar qualquer coisa que você comprasse.

As grandes empresas de computação como Compaq, DEC, IBM, Intel, Microsoft, NEC, e Nortel começaram a trabalhar no padrão USB em 1994, com a especificação original do USB 1.0 chegando em janeiro de 1996, com uma velocidade incrível de 1.5 Mbit/s.

O USB 2.0 chegou em abril de 2000, aumentando as velocidades para 480 Mbit/s – algo que não era tão importante para um joystick, mas precioso para um disco rígido externo. Outros upgrades significativos chegaram em novembro de 2008 com o USB 3.0, aumentando as taxas potenciais de transferência de dados novamente, desta vez para 5 Gbps, enquanto mantinha retrocompatibilidade com os aparelhos de USB 2.0. Se você tem o USB 3.1 instalado hoje em alguma máquina, então existe um potencial de até 10 Gbps para transferência de dados, muito embora a maioria dos periféricos disponíveis no mercado não cheguem perto disso. Existe ainda suporte para oferecer 100W de energia, e é por isso que os laptops mais atuais podem ser carregados via USB.

Cabos, plugs e dados

Imagem: USB-IF

Os padrões USB são definidos pelo USB Implementers Forum (USB-IF) e cobrem uma série de tecnologias: não apenas os protocolos para transferir dados, mas também os dados que você pode usar e os conectores nas pontas desses cabos. A porta USB-C que temos ouvido falar tanto nos últimos tempos está ligada, mas tecnicamente separada, dos padrões USB para transferência de dados. A porta também foi desenvolvida pela USB-IF, e foi anunciada praticamente junto com o USB 3.1, mas também funciona com os cabos e dispositivos USB 2.0.

Em outras palavras, só porque o seu cabo tem um conectar USB-C em uma ponta, isso não significa necessariamente que você terá as vantagens do USB 3.1. Obviamente é mais fácil desenvolver conectores e cabos junto com os protocolos de dados mais recentes – O USB-C foi projetado especificamente para tirar vantagens do USB 3.1, em benefícios como conseguir suportar energia o suficiente para carregar laptops – mas na verdade eles são dois padrões separados, ainda que sejam relacionados. Cabos que utilizam aquele conector familiar USB-A ainda podem ter o USB 3.1 (procure por uma cor turquesa no conector para checar isso).

O USB-C tem sido projetado como uma porta e conector do futuro, que funcione em tudo, desde celulares a computadores (e que trabalha em ambos os lados, como um bônus adicional). Não chegamos lá ainda, mas nos próximos anos o USB-C e o USB 3.1 se tornarão o padrão em aparelhos eletrônicos, pelo menos até a próxima especificação surgir…

O padrão USB 3.2

Imagem: USB-IF

O USB 3.2 é (como o próprio nome sugere) o passo seguinte em relação ao USB 3.1, mas ele vai demorar para aparecer por aí – o padrão acabou de ser anunciado pelo USB-IF, e sua principal característica é o suporte para o que é chamado de operação em múltiplas faixas (ou multi-lane), onde duas faixas de 5 Gbps ou 10 Gbps podem funcionar juntas em paralelo ao utilizar um fio extra dentro dos cabos USB. A taxa de transferência máxima, teoricamente, chagaria a 20 Gbps.

Fora o aumento significativo de velocidade, a especificação do USB 3.2 é um upgrade relativamente pequeno, e é por isso que sua nomenclatura muda apenas no último dígito. Ele funcionará com os conectores USB-C e na maioria dos casos você não precisará comprar um novo cabo, se o seu laptop ou celular for compatível com as novidades (mais sobre isso em seguida).

A especificação do USB 3.2 deve ser finalizada em setembro, mas em quanto tempo devemos vê-los nos eletrônicos depende de diversos fatores, incluindo tendências de mercado, programação de fabricação e margens de lucro. Pelo menos ter um pequeno upgrade desta vez significa que as portas USB dos nossos aparelhos não precisarão ser reequipadas para suportar a novidade.

Comprando cabos USB pensando no futuro

Imagem: Gizmodo

A boa notícia para nós, humildes consumidores, é que padrões antigos do USB tendem a ficar por aí por um bom tempo, e novos padrões geralmente são retrocompatíveis – novos cabos funcionarão com computadores e celulares antigos, apenas com um pouco de performance a menos. Para colocar de outra maneira, você não precisa necessariamente comprar um smartphone com USB-C agora, porque o microUSB presente nos celulares ainda deve ser suportado por um bom tempo.

Dito isso, se você quer comprar as coisas de olho no futuro e se assegurar que tudo irá funcionar com a capacidade máxima nos equipamentos lançados nos próximos anos, procure por dispositivos e cabos que vêm com a combinação de USB 3.1 e conector USB-C. Talvez você não consiga atingir velocidades incríveis quando conectá-los a equipamentos mais antigos, mas eles já estarão prontos para a próxima leva de hardware que será lançada.

O salto para o USB 3.2 significa que alguns cabos existentes potencialmente conseguirão dobrar suas taxas de transferência. Se você está utilizando cabos USB 3.0 ou USB 3.1 com conectores USB-C, eles conseguirão enviar o dobro de dados – tanto 2 x 5 Gbps ou 2 x 10 Gbps – graças a tecnologia de múltiplas faixas do novo padrão USB 3.2 em cada ponta dos cabos, mas os cabos em si não precisarão ser substituídos para se ganhar velocidades extras.

Imagem do topo: Gizmodo