Milhares de fotos do Snapchat foram divulgadas na internet em um vazamento enorme não muito tempo depois do caso da invasão do iCloud. Mais de 200.000 contas foram comprometidas, e fotos trocadas durante anos foram arquivadas pelos hackers.

De acordo com o BusinessInsider, os hackers ganharam acesso a uma biblioteca de 13GB de mensagens do Snapchat a partir de um app de terceiros que permite salvar as fotos enviadas pelo app sem que o remetente fique sabendo. Aparentemente, os hackers planejam vincular as fotos a nomes de usuário e lançá-las em um torrent.

O Snapchat reconhece o vazamento mas tenta se manter fora da encrenca. “Podemos confirmar que os servidores do Snapchat nunca foram invadidos e não são a fonte desses vazamentos. Os snapchatters foram vitimizados pelo uso de apps de terceiros para enviar e receber Snaps, uma prática que proibimos expressamente nos nossos Termos de Uso precisamente por comprometer a segurança dos nossos usuários”, disse um representante da empresa. O Snapchat também diz monitorar com frequência a App Store e a Google Play Store em busca de apps alternativos ilegais, e já conseguiu eliminar muitos deles das lojas de apps.

Não temos ainda a confirmação de que as fotos foram realmente roubadas a partir de um app de terceiro, mas, se for o caso, talvez seja melhor o Snapchat reforçar essa vigilância nas lojas de apps, já que um app ficou disponível tempo o suficiente para 13GB de fotos serem roubadas.

O BusinessInsider cita duas possíveis fontes para o vazamento: um é o cliente Snapsave, app para Android que permite salvar as fotos do Snapchat. O outro é um site chamado SnapSaved, um cliente web para o app do Snapchat que permite que usuários recebam e salvem vídeos e fotos online. O SnapSaved desapareceu há alguns meses – é possível que o arquivo de fotos e vídeos do serviço tenha sido hackeado e disponibilizado na internet.

O caso é preocupante especialmente ao considerarmos a faixa etária mais popular dentro do Snapchat: adolescentes entre 13 e 17 anos. Então é bem provável que, dentro das milhares de fotos, tenha muita pornografia infantil.

O histórico do Snapchat com segurança não é dos melhores. Na virada de 2013 para 2014, 4,6 milhões de nomes de usuário e telefones do serviço vazaram na web – na época, o Snapchat prometeu melhorar a segurança, mas não disse como. Esse novo vazamento pode ter um estrago bem grande nos planos do Snapchat, que pretende começar a vender anúncios em breve. [BusinessInsider]

Foto via Getty