Você pode ver agora o vídeo completo da coletiva em que Nokia e Microsoft anunciam que são melhores amigas. Os chefões falam Windows Phone pra cá, “nova fase” pra lá… E o Symbian, talvez ainda o sistema operacional de smartphones mais popular do mundo, onde fica na estratégia? Você pode ver quão importante o velho sistema é nas palavras do CEO da empresa Stephen Elop. Ou você pode dar uma olhada neste gráfico:

Se você assistiu o vídeo, verá que o nome Symbian não é citado uma única vez, nem no plano secundário. Para ficar clara a estratégia, depois da coletiva, a empresa liberou um documento com os resultados financeiros e projeções, que tinham esse gráfico lá em cima para “fins ilustrativos”. Veja mais um:

Parece que o plano é efetivamente matá-lo rapidamente nos celulares mais caros (N8 e E7 parecem ter sido os últimos) e lentamente nos mid-end. Mas não há dúvidas que ele foi assassinado – sem dinheiro algum para pesquisa e desenvolvimento, não há perspectiva de vida para o Symbian no longo prazo. É uma atitude bastante corajosa (e, na nossa opinião aqui, acertada). No futuro, pode ser que ele seja diluído em uma versão light, que caberia nos telefones mais simples e baratos. Mas o futuro, como sabemos, é dos smartphones. No caso da Nokia, dos Windows Phones.