O Google já bloqueia e remove apps maliciosos da Play Store. E apps fora do Google Play? Para isso, o Google colocou uma ferramenta no Android 4.2 que checa todo aplicativo para ver se ele tem malware… mas parece que ela não funciona muito bem. Pesquisadores afirmam que ela detecta apenas 15% dos malwares conhecidos do sistema.

O estudo foi feito pelo professor Xuxian Jiang, da Universidade Estadual da Carolina do Norte, nos Estados Unidos. Ele instalou 1.260 malwares (de 49 diferentes famílias) em um Nexus 10 com o Android 4.2 e o serviço nativo do Google detectou o conteúdo maliciosos em apenas 193 deles.

Os malwares detectados pertenciam a apenas 10 das 49 famílias testadas. Em comparação com apps de outras empresas de antivírus, a taxa ficou bem baixa – os serviços oferecidos por Avast, AVG, TrendMicro, Symantec, BitDefender, ClamAV, F-Secure, Fortinet, Kaspersky e Kingsoft tiveram taxa de detecção entre 51,02% e 100% (o estudo não detalha quais antivírus tiveram o melhor desempenho).

Malwares são um problema no Android e não é de hoje que o Google tenta acabar com eles. A ferramenta do Android 4.2 detecta o  conteúdo malicioso no app quando ele é instalado no dispositivo, vindo de fora do Google Play. Se o app for considerado potencialmente perigoso, surge uma mensagem e o usuário pode escolher entre instalar ou não. Se for considerado perigoso mesmo, a instalação é bloqueada. (Você pode desativar a função, no entanto.) Mas a ferramenta nativa ainda tem muito o que melhorar antes de se tornar uma solução eficiente de segurança nos smartphones e tablets.

O Google comprou recentemente a VirusTotal, que tem um antivírus próprio para Android. Ele não foi incorporado ao serviço do Android 4.2 e, segundo o estudo, o app da empresa funciona muito melhor que a ferramenta do Google. Portanto, podemos esperar que uma integração futura consiga melhorar a detecção nativa de malwares no Android. [The Next Web]