Ao invés de oferecer serviços pontuais e confiáveis, menores tarifas de bagagem e refeições decentes, as companhias aéreas parecem dispostas a tentar qualquer outra coisa para preencher os assentos de suas aeronaves. De acordo com a empresa de engenharia aeroespacial Windspeed, uma fabricante de aviões planeja oferecer um sistema chamado SkyDeck, que eleva assentos para cima da aeronave.

A aeronave modificada terá um par de assentos tão confortáveis quando os de primeira classe que podem ser elevados de dentro da cabine até saírem pela parte de cima da fuselagem. Uma redoma espaçosa e aerodinâmica no topo da aeronave, então, fornece vistas inéditas do céu ao redor do avião para os dois passageiros privilegiados.



A Windspeed garante que o material usado para a redoma é tão forte quanto o do resto da aeronave e deve resistir a condições climáticas extremas ou a outros impactos, como colisões com aves.

mjnw1udzkl9opvlgo5up (1)

A redoma e o elevador necessário para carregar os assentos do SkyDeck acrescentam peso à aeronave, o que reduz o número de passageiros e de bagagem que ela pode carregar — o que, por sua vez, reduz as receitas. Mas uma companhia aérea poderia certamente cobrar um preço ridiculamente alto pelos assentos, ou permitir que vários passageiros se revezem no assento durante o voo por um preço menor, mas ainda assim aumentando seu faturamento.

O conceito, que pode se tornar realidade nos próximos anos, assim que o projeto for aperfeiçoado, parece mais uma característica que você encontraria dentro de um cruzeiro caríssimo. Mas a experiência de fazer isto a 30 mil pés de altitude é infinitamente mais empolgante, e a oportunidade de testar isto certamente vai atrair mais passageiros para a primeira companhia que colocar o SkyDeck em um de seus aviões.

[Windspeed Technologies via designboom]