São divergentes as informações acerca do carregamento correto dos celulares. Alguns dados dão conta de que temos que deixar a carga completa para não prejudicar o desempenho da bateria, outros que não é saudável para o dispositivo passar longos períodos conectado à fontes de energia constante.

Mas você já se deu conta de que não se trata apenas disso? Claro, tendo em vista o tanto que estamos usando nossos smartphones, tê-los sempre à postos é fator relevante, mas estamos pensando a longo prazo? Sim, querido consumidor, a vida útil do aparelho está também relacionada à bateria.



Conforme vamos abrindo aplicativos, há um maior consumo da bateria e, claro, maior necessidade de recargas ao longo de nossa relação com o celular. E este ato contínuo pode prejudicar tanto o desempenho do aparelho quanto fazê-lo “morrer” mais cedo. Uma pena, não?

Não necessariamente. A Qualcomm, preocupada e interessada em manter você (e eu e todos os apaixonados por estes inseparáveis adereços) satisfeito por mais tempo, desenvolveu um chip multifuncional pensado para se manter frio: isso, o processador Snapdragon, este sobre o qual estamos falando há algum tempo aqui no canal.

Isto só é possível porque o Snapdragon consegue realizar operações multitarefas com maior assertividade e também descansar quando não está sendo usado, digamos assim, por inteiro. Ou seja: se você está com muitos aplicativos rodando, o processador dá conta. Se está fazendo apenas uma tarefa, a energia dispensada fica proporcional à utilização, economizando bateria, claro, e salvando o sistema de refrigeração do aparelho – que nada mais é do que deixa-lo ao ar livre.

Confira a prova que alguns smartphones esquentam mais do que outros na imagem abaixo e lembre-se: smartphone fresco dura mais!

smartphones