Um submarino operado remotamente capturou imagens impressionantes do fundo do Oceano Antártico, revelando uma dinâmica surpreendente e um mundo colorido cheio de estrelas-do-mar que lembram aranhas, esponjas-do-mar que parecem cocos, e mais.

Rachadura na Antártida ameaça estação britânica de pesquisa climática
Um inseto antigo foi encontrado no coração da Antártida

Parece meio chato visto da superfície, mas o fundo do mar na Antártida está cheio de vida, com muitas esponjas, aranhas do mar, ouriços, pepinos do mar e estrelas do mar. Este cenário marinho colorido foi gravado por um veículo operado remotamente lançado por cientistas australianos qu exploram o fundo da baía O’Brien, próximo à estação de pesquisa Casey na Antártida Oriental.

“Essas comunidades vivem em uma água que tem em média 1,5 graus Celsius durante o ano e ficam cobertas pelo gelo do mar por 10 meses durante o ano”, disse o biólogo Glenn Johnstone, da Divisão Australiana da Antártida, em um comunicado. “Ocasionalmente um iceberg pode se mover e varrer uma comunidade azarada, mas na maior parte do tempo o gelo do mar oferece proteção para as tempestades de cima, tornando o mar um ambiente relativamente estável para o desenvolvimento da biodiversidade.”

Os pesquisadores estão estudando a acidez, oxigênio, salinidade e temperaturas dessas águas, e essas imagens vieram de bônus. Infelizmente, a Antártida deve ser um dos primeiros lugares em que começaremos a ver efeitos nocivos da acidificação dos oceanos em ação.

“O dióxido de carbono é mais solúvel na água fria. As águas polares estão acidificando duas vezes mais rápido do que em regiões tropicais ou temperadas, então esperamos que esses ecossistemas estejam entre os primeiros impactados pela acidificação dos oceanos,” disse o líder do projeto Johnny Stark. “Pesquisas mostram que algas cor-de-rosa conhecidas como corallinales podem diminuir em extensão em um oceano mais ácido no futuro, já que elas incorporam cálcio em sua estrutura, e isso fica mais difícil para organismos conseguirem conforme a acidez da água dos mares aumenta.”

A acidificação do oceano, que é em parte influenciada por atividades humanas como queima de combustível fóssil, pode diminuir bastante a diversidade marinha.

É fascinante que vida possa ser encontrada em tanta variedade no Oceano Antártico. Em 2014, pesquisadores encontraram espécies desconhecidas de anêmonas do mar vivendo abaixo da camada de gelo. O oceano ao redor da Antártida, muito como o resto dos oceanos do mundo, ainda tem muitos mistérios a nos revelar.

[Australian Antarctic Division]