Há uma série de tecnologias futuristas que ainda não chegaram: logo atrás do carro voador, está o jetpack pessoal. A empresa Martin Aircraft, da Nova Zelândia, quer trazê-lo à vida real. E estamos ainda mais perto disso após o redesign do seu jetpack – antes, ele era assim.

Tecnicamente, o P12 ainda um protótipo: é um dos passos finais para criar o Martin Jetpack, cujo lançamento no mercado deve acontecer em 2014. No entanto, as primeiras unidades serão vendidas exclusivamente para policiais e bombeiros, que irão ajudar no teste prático dos jetpacks.

O P12 chega a até 74 km/h, e tem autonomia para voar até 30 km (ou meia hora) usando gasolina premium. É recomendável voar a pelo menos 150 m de altura, para que o sistema de segurança – incluindo um paraquedas – funcione caso algo dê errado.

Seria esta uma ótima forma de driblar engarrafamentos? Bem, este jetpack real é menos prático do que parece. Ele pesa 330 kg. Para voar nele, você precisa usar capacete, protetor auditivo e um traje à prova de fogo. Também é preciso ter uma licença de piloto, é claro.

Mas não desanime: toda tecnologia começa assim – grande, pesada e destrambelhada. Ao longo de anos ou décadas, vamos refiná-la para que se torne algo mais acessível.

Inicialmente, o jetpack estará disponível para clientes empresariais e early adopters, e deve custar entre US$ 150.000 e US$ 200.000. Ninguém nunca disse que o progresso seria barato! [Martin Aircraft e Gizmag]

martin jetpack (3)

martin jetpack (2)