Se você é um cientista sem grana, que bebe vinho vagabundo, mas tem uns eletrodos de titânio no seu laboratório de fundo de quintal, hoje é seu dia de sorte. Uma pesquisa descobriu que eletricidade pode melhorar bastante os vinhos.

Cientistas e enólogos descobriram que é possível envelhecer vinho usando eletrodos bem poderosos. Isso faria com aqueles vinhos vagabundos e horríveis que você costuma tomar ficassem com um sabor mais agradável. A técnica foi amplamente usada em vinhos jovens, mas também melhorou o gosto de vinhos sujos e vagabundos. O processo consiste em passar a bebida por um cano entre eletrodos de titânio, o que aumenta as reações entre o álcool e os ácidos. Essas reações produzem éster, que faz com que o sabor melhore.

Eles também descobriram que muita eletricidade pode criar novos e poderosos vinhos ruins. Mas o processo aparentemente funciona mesmo, já que foram feitos testes com aqueles enólogos esnobes e eles confirmaram que o sabor do vinho, depois da aplicação, é bom. Essa pesquisa começou na China, graças ao químico Xin An Zeng, e agora várias vinícolas de lá estão investigando as possibilidades de negócio com essa tecnologia nova. Pessoalmente, espero por vinho elétrico há anos. E agora, sou uma pessoa feliz.  [The New Scientist]