O bilionário e fundador da Virgin Galactic, Richard Branson, junto com uma equipe de funcionários de sua empresa, realizaram neste domingo (11) a primeira missão com 100% de tripulação a bordo de uma nave rumo ao espaço. Eles passaram poucos minutos na órbita terrestre, onde experimentaram a gravidade zero, e na sequência retornaram à Terra. A missão foi considerada um sucesso.

Você pode assistir o voo completo no vídeo abaixo:

A bordo da aeronave VSS Unity, Branson foi acompanhado dos pilotos Dave Mackay e Michael Masucci; a astronauta chefe e instrutora Beth Moses; o engenheiro chefe de operações Colin Bennett; e a vice-presidente de relações governamentais e operações de pesquisa, Sirisha Bandla.

Houve um atraso de quase 1h30, mas a nave enfim decolou da base Spaceport America, em Novo México, nos Estados Unidos, por volta das 11h40 (horário de Brasília). A nave ficou por 50 minutos ganhando altitude até se soltar do módulo de fuselagem e voar sozinha usando o próprio motor, alcançando quase 89 quilômetros de distância da superfície terrestre. Cerca de uma hora depois, em 12h40, a nave voltou ao planeta e tocou o solo da base com segurança, sem comprometimentos na nave em si, nem nos tripulantes.

Branson comemorou o sucesso da missão, chamando o voo de “uma experiência para uma vida toda”. Na base de operações, Branson recebeu o apoio de Elon Musk, dono da SpaceX, que é mais uma empresa que promete apostar no turismo espacial nos próximos anos.

Corrida pelo turismo espacial

O voo deste domingo marca o início de uma disputa entre bilionários para fornecer soluções (para outros bilionários, obviamente) focadas no turismo espacial. Branson só faria este teste depois de julho, mas antecipou a data antes de Jeff Bezos, ex-CEO da Amazon que também voará para o espaço no dia 20 de julho, a bordo do foguete New Shepard, da Blue Origin.

Assine a newsletter do Gizmodo

A Virgin Galactic foi fundada em 2004 e já vendeu cerca de 600 passagens para um voo espacial. Cada um desses tickets custa em torno de US$ 250 mil, o equivalente a R$ 1,3 milhão, porém nenhum dos compradores ainda viajou porque dezenas de testes foram feitos nos últimos anos. Inclusive, a companhia tem mais duas missas de teste planejadas este ano antes de iniciar as viagens turísticas em 2022. Quando isso acontecer, as passagens ficarão ainda mais caras.

Já a Blue Origin ainda não iniciou as vendas de passagens para o espaço. O primeiro voo totalmente tripulado no próximo dia 20 contará com Bezos e seu irmão, Mark Bezos; o aviador Wally Funk; e um passageiro anônimo que venceu um leilão de US$ 28 milhões por um os assentos na aeronave.

[The Verge]