A doença celíaca pode ser um pesadelo, com toda a gama de aflições causadas pelo glúten que ela traz. Elas incluem de tudo, de sintomas gastrointestinais, como inchaço e diarreia, a sintomas psicológicos, anemia, convulsões… basicamente tudo que pode fazer seu corpo se sentir mal, combinado em uma grande e horrível confusão.

• Como sobreviver à próxima pandemia catastrófica
• Doença cerebral misteriosa pode estar ligada a fruta popular

Pelo menos um a cada 141 americanos sofrem de doença celíaca (isso significa alguns milhões), e muitos não são diagnosticados. Cientistas achavam que a causa era genética, algo codificado no DNA que fazia o sistema imune atacar o corpo na presença de glúten de trigo. Mas agora uma grande equipe internacional de pesquisadores apresentou evidências convincentes de que a história é maior do que isso. O desencadeamento da doença poderia estar em uma infecção viral benigna.

Esses pesquisadores, que publicaram seu trabalho nesta quinta-feira na Science, suspeitaram que a doença celíaca tivesse algum componente ambiental, baseados em várias evidências. Por exemplo, 2% das pessoas vivendo em Karelia, província na Finlândia, sofrem de doença celíaca, mas apenas 0,2% das pessoas morando na vizinha República da Carélia, na Rússia, têm a doença. Cerca de 30% a 40% dos americanos têm pelo menos uma das duas características genéticas associadas à doença celíaca, de acordo com a Science News, mas apenas 1%, de fato, tem a doença.

Isso significa que pode haver um desencadeador celíaco. Evidências epidemiológicas apontam para um vírus desencadeando a doença celíaca, mas não houve muita evidência experimental. Os cientistas vinham estudando reovírus há algum tempo antes de chegarem à percepção surpreendente de que esses vírus, em outros casos benignos, podem ter algo a ver com a doença celíaca, de acordo com um comunicado à imprensa. Para investigar mais profundamente, eles testaram duas estirpes virais em ratos e descobriram que uma estirpe assintomática chamada T1L tinha a habilidade de disparar uma resposta imune intestinal em moléculas de comida como o glúten. Entretanto, não causou doença celíaca completamente.

Mas eles encontraram outro pedaço de evidência: humanos com doença celíaca parecem ter um nível maior de anticorpos, ou de proteína assassina de patógenos, para os reovírus, o que pareceu implicar algum tipo de exposição viral anterior.

Isso não significa que o reovírus causa doença celíaca, mas ele poderia ser um fator. “[A doença celíaca] é um distúrbio complexo que provavelmente exige várias perturbações ambientais para acabar permanentemente com a tolerância a glúten, escreveram os autores.

Em declaração por email ao Gizmodo, a Celiac Disease Foundation explicou alguns dos estudos recentes sobre a doença celíaca e a introdução do glúten na dieta de crianças. A fundação sente que essa descoberta dá suporte à necessidade de mais pesquisas de vacina e financiamento, concluindo: “Considerando que uma dieta livre glúten não é uma solução e que uma ligação animadora entre o reovírus e a doença celíaca foi descoberta, agora é a hora de investir pesado em pesquisas, assim como apoiar a comunidade de portadores de doença celíaca para que ela participe de testes clínicos”.

[Science]

Imagem do topo: M Dreibelbis/Flickr