A Visa anunciou nesta segunda-feira (29) a integração de pagamentos com a stablecoin USDC, criptomoeda estável vinculada ao dólar. Todas as transações serão feitas por meio do blockchain da Ethereum, e os testes do programa piloto acontecerão em parceria com a plataforma de pagamento Crypto.com, que ficará encarregada de testar a capacidade das transações da Visa.

“As fintechs cripto-nativas querem parceiros que entendam seus negócios e as complexidades de fatores da moeda digital. Trata-se de uma extensão do que fazemos diariamente, facilitando com segurança os pagamentos em todas as moedas diferentes ao redor do mundo. O anúncio de hoje é um grande marco em nossa capacidade de atender às necessidades de fintechs que administram seu negócio em stablecoins ou criptomoedas, e é realmente uma extensão do que fazemos todos os dias, facilitando pagamentos seguros nas diferentes moedas do mundo”, disse Jack Forestell, vice-presidente executivo da Visa, em comunicado à imprensa.

Cuy Sheddield, diretor da Visa que trata de assuntos relacionados a criptomoedas, afirmou à Reuters que a bandeira está acompanhando uma demanda crescente de consumidores em todo o mundo que optam pelas moedas digitais. E isso inclui os clientes da própria Visa, que agora poderão recorrer a esse tipo de pagamento.

“Somos parceiros da Visa há anos, e estamos empolgados em aprofundar esse relacionamento por meio do nosso acordo global, inaugurando algo inédito no mundo em termos de pagamentos com stablecoins”, disse Kris Marszalek, cofundador e CEO da Crypto.com.

É preciso diferenciar as stablecoins do bitcoin tradicional. Enquanto o bitcoin varia de valor com bastante frequência, podendo aumentar ou desvalorizar seu preço com muita rapidez, as stablecoins são moedas com valor estável. Por isso está atrelada diretamente ao dólar, que já é uma moeda forte e mais estável que as demais na grande maioria dos mercados mundiais.

Segundo o site CoinMarketCap, o preço da USDC é de R$ 5,75 na cotação atual, ocupando a 12ª posição entre as criptomoedas mais usadas no mundo.

[Visa, Yahoo Finance, Reuters]