Enquanto a expectativa para que os robôs tomem nossos empregos aumenta, existem indústrias nas quais eles são a realidade – é difícil imaginar uma montadora de veículos sem pensar em um monte de máquinas fazendo todo o trabalho pesado. Na última semana, eu fui ao Polo Automotivo Jeep, em Goiana, Pernambuco, para conhecer a planta mais moderna da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) no mundo.

Por lá, a FCA fabrica três veículos: o Jeep Renegade, Jeep Compass e o Fiat Toro. Passei por praticamente todos os processos da montagem dos veículos e vi muitos robôs trabalhando. São cerca de 700 deles. A planta começou a funcionar há dois e anos e dois meses e, desde então, aposta em uma liderança jovem e nacional – a média de idade da turma de gerência é de 27 anos.

O Polo de Goiana, que fica a pouco mais de 60 quilômetros de Recife, tem capacidade produtiva de 700 carros/dia. E um carro completo leva cerca de 16 horas para ser finalizado – a parte mais demorada é a pintura do veiculo: são 8 horas e 30 minutos para terminar esse processo. Apesar de tantas máquinas, 8.500 pessoas trabalham por lá, incluindo funcionários das empresas prestadoras de serviço. Pelo menos esse é o número até que os robôs tomem conta de tudo.

* O Gizmodo Brasil viajou para Pernambuco a convite da Jeep