A Vivo está ressuscitando uma ideia antiga: dar prêmios em troca de propaganda no celular. Se você visitar um site e assistir a um vídeo de 30 segundos, você ganha 10 MB na franquia.

>>> Os planos pré e controle da Vivo, TIM e Oi com minutos para outras operadoras

Funciona assim: clientes pré-pago e controle da Vivo acessam o site vivo.com.br/internetgratis pelo celular, através do 3G ou 4G – não pode ser via Wi-Fi. (A promoção será estendida “em breve” para clientes pós-pagos.)

A Unilever é a primeira marca a utilizar o formato, com uma campanha de shampoos da linha Dove. Para mim, surgiu a opção de ver uma propaganda da própria Vivo. No fim, apareceu uma pergunta – que você precisa responder para obter o pacote de dados. Curiosamente, a Vivo não queria minha opinião, apenas saber se eu estava prestando atenção.

vivo internet gratis anuncio

Após eu acertar este teste de múltipla escolha, veio a mensagem de que eu havia ganho meu prêmio: 10 MB para navegar. Também recebi um SMS de confirmação, lembrando que posso usar o pacote “em um dia ou até consumir 100%”.

No regulamento, a Vivo avisa que “todo pacote patrocinado tem validade no dia da contratação mais 24h”, e que eles “têm prioridade de consumo sobre os demais pacotes contratados”.

vivo internet gratis anuncio 2

A operadora também diz que todas as peças publicitárias no Vivo Dados Patrocinados, incluindo vídeo, banners e páginas de pesquisa, “não terão seu tráfego de dados contabilizado” na franquia.

Esta isenção parece violar a regulamentação do Marco Civil da Internet, que diz: “ficam vedadas condutas unilaterais ou acordos… que priorizem pacotes de dados em razão de arranjos comerciais; ou que privilegiem aplicações ofertadas pelo próprio responsável pela transmissão”.

A tática de oferecer prêmios em troca de anúncios é antiga na telefonia. Em 2010, a Vivo sorteou camisas da Seleção brasileira para quem aceitasse ligações do telemarketing oferecendo produtos e serviços.

Em 2009, a Claro dava minutos extras, SMS gratuitos e bônus de internet para quem instalasse um app que exibia anúncios em tela cheia nos smartphones da época. E em 2001, a Telefônica oferecia chamadas gratuitas em orelhões para usuários que ouvissem uma mensagem publicitária de 20 segundos.

[TeleSíntese via Tecnoblog]

Foto por Jay Cross/Flickr